INFORMAÇÃO É PODER


Certa vez estava ouvindo um debate no programa de Geraldo Freire (radialista pernambucano que apresenta um programa diário aqui no Recife – Rádio Jornal) que tinha como título: “Informação É Poder”. E Geraldo deu como exemplo o caso de um senhor que era proprietário de uma venda na cidade de Mimoso (agreste de Pernambuco), sua terra natal. Disse ele: “rapaz, quando eu era garoto lá em Mimoso, o dono da venda era considerado o cara mais sábio e importante da cidade. Tudo que a gente queria saber procurava ele. Eu não entendia o porquê. Anos depois, já no Recife, percebi que a “sapiência” e o conseqüente poder que ele ostentava tinha uma explicação: ele era o único que tinha um rádio na cidade. Ele estava sempre bem informado”

Esse exemplo pode ser aplicado aos dias de hoje. Mudaram-se as fontes de informação – agora temos internet e tv – mas a premissa é a mesma: os mais bem informados dominam o mundo. Note, não falo apenas do conhecimento sistematizado. As informações adquiridas ao longo da vida são importantíssimas para determinar a posição do indivíduo na sociedade. Outro exemplo que ilustra bem essa máxima, refere-se ao Padre Cícero. Quem nos conta é o pesquisador Câmara Cascudo: “o padre Cícero era um homem querido e poderoso. Quando ele chegava num lugarejo qualquer do interior, ele tratava logo de conquistar o representante dos correios. Feito isso, ele confiscava todas as cartas e fazia uma leitura prévia antes que o destinatário a recebesse. Nos seus sermões ele fazia “revelações” (obtidas com a leitura das cartas) para os fiéis. Quando as informações se confirmavam, ele era chamado de santo. Tudo porque ele detinha informação”. 

Quem já leu “O Príncipe”, de “Maquiavel”, está familiarizado com essa prática “ciceroniana”. Negar informação à população ajuda a perpetuar a dominação das elites. Fernando Henrique Cardoso quando era presidente do Brasil vetou a obrigatoriedade do ensino de filosofia nas escolas públicas. Sendo ele sociólogo, humanista, um ato desses nos leva a pensar que o veto tinha interesses não muito nobres. Termino esse post com um lema iluminista: “o homem só progride quando se livra das trevas da ignorância”.

DONA SANTA,RAINHA NEGRA

Quando eu era garoto, não lembro bem em que ano (faz tempo!), sei que foi na década de 70, fui com minha mãe à casa de "Seu Lula", um lendário pai de santo do bairro da mangueira (Recife), falecido no final da década de 90. Ostentava nessa época o título de "pai de santo mais antigo em atividade no Brasil". Bom, voltando à minha história, quando chegamos à casa dele (ele era muito ligado à minha família) eu me deparei com um quadro imenso que se destacava na sala (foto acima). Ele mostrava a imagem de uma negra majestosa , coroada e com um cetro na mão. Perguntei à minha mãe: "quem é essa?" - Ela respondeu: "é uma rainha!". Era a foto de Dona Santa, rainha do maracatu Elefante. Virou lenda por ter sido a última a ser coroada segundo as tradições dos Reis do Congo. Durante muito tempo pensei que ela fosse uma rainha como Elizabeth II (Inglaterra). Entretanto, um detalhe intrigava a minha cabeça (doutrinada por estereótipos racistas): não existem rainhas negras. Descobri depois de muitos carnavais a importância dessa mulher. Dona Santa nasceu Maria Júlia do Nascimento, no dia 25 de Março de 1877, no Pátio de Santa Cruz (local sagrado, lá também nasceu o Santa Cruz Futebol Clube), centro do Recife. Seu primeiro reinado foi no Maracatu Leão Coroado. Ela abdicaria do trono mais tarde, quando o seu marido fosse escolhido para ser rei do Maracatu Elefante (fundado, acreditem, em 1880!). Dona Santa herdaria mais tarde, em 1947, o trono de rainha desse maracatu, com a morte do seu marido. Mulher de fibra, teve que lutar contra a ditadura Vargas e o governo Agamenom Magalhães que persseguiam e proibiam os cultos afros.Usava os ensaios do maracatu para realizar os cultos do candomblé. Ela reinou absoluta por vários carnavais, foi tema de vários trabalhos acadêmicos no Brasil, na Europa e nos Estados Unidos. Faleceu em 1962, aos 85 anos, deixando um legado histórico riquíssimo.

FUTEBOL E ROCK, APENAS UMA COMPARAÇÃO

A Revista Placar lançou uma idéia muito boa e eu resolvi publicar aqui pra vocês conferirem. Se cada clube fosse uma banda de música, qual seria? A revista listou os 12 maiores clubes do Brasil e suas bandas correlatas. Como sou pernambucano, adicionei os três grandes de Recife. Licença poética! rssss

Inter = Led Zeppelin... Reinou nos anos 70 e morreu nos 80. Seus líderes conseguiram juntar os cacos e voltar nos anos 2000, com uma inesquecível turnê mundial.

Grêmio = Sepultura... Um de nossos sucessos internacionais. Mas na terra do molejo e do samba faceiro - exceção feita ao seu público fiel - muitos acham que eles pegam pesado demais

Santos (Aqui eu acrescento o Náutico) = Beatles... Nos anos 60, não tinha pra ninguém, até hoje é lembrado no mundo inteiro pelos sucessos de 40 anos atrás.

Palmeiras = Aerosmith.... A banda tem enorme tempo de estrada. Mas suas músicas só atingem o estrelato quando faz alguma parceria.

São Paulo = Queen... Já foi eleita a melhor do mundo uma quantidade de vezes...

Corinthians = Michael Jackson... Um dos mais populares da história envolveu-se em escândalos e até mudou de cor. Tem apostado em criancinhas como Lulinha e Dentinho.

Botafogo = Rolling Stones... Seria o maior da década de 60, se não houvesse um rival mais popular... Teve seus Satisfacion em Garrincha. Há alguns anos retomou o rumo e está feliz da vida.

Vasco = Oasis... Banda de qualidade e importância inquestionáveis. Todo mundo quer gostar dela quando ouve, mas a imagem do líder Euricão Gallagher faz muita gente sentir aversão.

Fluminense = Titãs... Banda charmosa e simpática. No Brasil, é querida por muitos. O problema é que ninguém nunca ouviu falar fora de nossas fronteiras...

Flamengo= Jorge Benjor ..Há muito tempo não produz um grande sucesso, mas é incrível como segue popular e nunca sai da moda...

Atlético-MG = Raul Seixas... Mesmo sem ter alcançado o estrelato tantas vezes, conseguiu se consolidar como um dos artistas mais populares do país. Seus fãs são tão apaixonados que tem fama de malucos.

Cruzeiro = Paralamas do Sucesso... Na América do Sul é respeitado e campeão de vendas. Mas quando participa de um festival com bandas européias é café com leite...

Sport Recife = Sigue Sigue Sputnik... falam que são os melhores do mundo em tudo, atingiram o auge em 1987. Entretanto, só eles sabem disso.

Santa Cruz = Bom, o meu glorioso Santa Cruz é um caso a parte. Não seria uma banda, seria um filme= Titanic. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

VOCÊ SABE O QUE SÃO AS PEGADAS DE CARBONO?

As chamadas “pegadas de carbono” são uma metodologia criada para aferir a quantidade de CO² (Dióxido de Carbono) que um ser humano emite por ano. Todo mundo já ouviu falar no efeito estufa mas, estranhamente, a maioria das pessoas enxerga o assunto como se ela própria não fizesse parte desse grave problema. A função primária do cálculo das pegadas de carbono é alertar as pessoas para que elas reduzam ao máximo a emissão do CO². Você pode calcular a sua pegada de carbono clicando AQUI.

COMO DIMINUIR AS MINHAS PEGADAS DE CARBONO

DENTRO DE CASA

  • Troque as lâmpadas incandescentes por lâmpadas fluorescentes, pois gastam menos energia elétrica e duram mais;
  • Opte por fontes de energia renovável em casa como aquecedores solares e painéis de energia solar para geração de energia elétrica;
  • Compre sempre eletrodomésticos e eletrônicos que possuam baixo consumo de energia;
  • Aproveite bem a luz do sol para iluminar a casa e para secar as suas roupas;
  • Faça compostagem do lixo sempre que possível, pois além dar um fim para o lixo orgânico você também poderá cultivar uma bela horta no quintal de casa.

FORA DE CASA

  • Compre veículos que possuam tecnologia flex, pois se tem a opção de abastecer com etanol;
  • Use sempre que possível a bicicleta como seu principal meio de transporte, pois além de não poluir você acaba praticando uma atividade física;
  • Use mais o transporte coletivo de sua cidade e ajude a diminuir a poluição e,conseqüentemente, o número de veículos nas ruas;
  • Use e abuse das caronas solidárias pois, além de uma boa conversa, você estará contribuindo com meio ambiente e com o trânsito da cidade;
  • Faça regulagens periódicas em seu veículo e certifique-se de que ele não esteja poluindo em excesso.

Faça sua parte, contribua para que o planeta torne-se mais habitável. Sei, muitos se escondem atrás do discurso: “os principais poluidores são os países desenvolvidos, etc., etc., etc.,” e acabam não fazendo a sua parte.

DIÁRIO DA PERIFERIA - O SENHOR DO DESTINO

Outro dia, a caminho do trabalho, encontrei um amigo de infância. Há muito não nos falávamos. Estávamos num ônibus que tinha como destino a cidade de Olinda (esse é o meu trajeto diário). Eu como passageiro, ele como cobrador (ou trocador, dependendo do seu estado). Depois de uma meia hora de conversa, desci do coletivo entristecido e aliviado. A tristeza veio porque a maior parte das notícias dos amigos do passado tinha um drama atrelado. “Lembra de fulano, se meteu com coisa errada e foi morto. E sicrano, está com dificuldades, cheio de filhos e desempregado”. O alívio foi pela constatação de que sou um dos sobreviventes. À noite, quando cheguei em casa fui rebuscar o passado para tentar descobrir por que o meu destino foi diferente. Crescemos no mesmo bairro, jogamos futebol no mesmo campo (as salinas de um manguezal), freqüentamos a mesma escola.

O primeiro sinal que identifiquei no desvio do meu caminho foi um fato ocorrido no dia 08 de dezembro de 1980. Essa data é feriado aqui no Recife. Nesse dia John Lennon foi morto em Nova York e eu descobri os Beatles. A minha paixão pelos “Fabulous Four”, por tabela, despertou a minha paixão pela música. As horas que eu passava na rua se transformaram em horas tentando aprender a dedilhar o meu violão. Se eu pudesse materializar o que estou sentindo agora, você veria o “senhor do destino” apontando o seu dedo para os garotos da periferia e dizendo: “você vai ser alguém, vocês não. Você vai morrer, você vai matar, você...” Sinistro? Muito, eu sei, mas é assim que as coisas funcionam até hoje. Depois da música veio o gosto pelos estudos e tudo começou a se tornar mais fácil. Meu caminho foi desviado e o dedo em riste do “senhor do destino” não pôde mais me atingir.

THE BOBs, O MAIOR CONCURSO MUNDIAL DE BLOGS

Estava eu passeando pela rede e aportei no ótimo blog Café Com Notícias e dei de cara com um post que falava sobre o “The Bobs”. O que é isso? Trata-se do maior concurso internacional de blogs que é realizado pelo conceituado grupo alemão de radiofusão, “Deutsche Welle”. O concurso premia blogs em onze idiomas inclusive o português. As inscrições – que podem ser feitas clicando aqui ou no banner na ao lado – começaram no dia 31 de agosto (Blog Day) e se estenderão até o dia 30 de setembro. Os blogs dos onze idiomas oficiais do concurso (alemão, árabe, chinês, espanhol, francês, holandês, indonésio, inglês, persa, português e russo) concorrerão em dez categorias. Além de inscrever seu blog, você pode sugerir blogs que costuma ler
O que fazer depois da inscrição? O site oficial do concurso informa: "Terminado o prazo para sugerir blogs, nosso júri internacional composto por blogueiros, jornalistas independentes e pesquisadores de mídia escolherá os nomeados em cada uma das 10 categorias do concurso. Levará algum tempo até que eles tenham avaliado todos os blogs sugeridos. Mas, a partir de 27 de outubro, o concurso prossegue e tem início a fase de votação. Veja se seus prediletos entraram na corrida e dê logo seu voto. Enquanto isso, o júri oficial avaliará cada um dos nomeados. Os resultados serão anunciados em 27 de novembro de 2008, em uma cerimônia aberta ao público no Museu da Comunicação de Berlim". Não perca tempo, inscreva seu blog. Na edição do ano passado, o "Blog doTas", do jornalista brasileiro Marcelo Tás (CQC), foi eleito o melhor blog de língua portuguesa.

"A GUERRA DOS MENINOS"

A idéia desse post surgiu depois de um comentário de um aluno numa aula sobre população: "professor, os pobres de hoje são tudo metido, não querem mais construir casa, só duplex". O nobre aluno fez uma observação pertinente, mas com uma justificativa equivocada. Quando estudamos sobre ocupação do espaço, uma das primeiras coisas que aprendemos é que o espaço é ocupado de duas formas: primeiramente a ocupação é horizontal. Enquanto existe disponibilidade de terrenos, as construções vão surgindo. Até mais ou menos a década de 1960, quando os casais estavam perto de consolidar o matrimonio, saiam à procura de um terreno para construir o "lar doce lar". Depois que a ocupação horizontal se consolida, inicia-se a segunda forma de ocupação: a vertical. Muito mais por uma questão de necessidade que por vaidade. Não é porque as pessoas são "metidas", como observou o aluno. O crescimento vertical é um processo natural e lógico. Não podendo mais crescer para os lados, o céu passa a ser o limite e, em casos extremos, o subsolo também é ocupado, como ocorre no Japão e na Coréia do Sul. Quanto a "Guerra dos Meninos", eu explico: sem espaço, sem terrenos baldios e quase sem áreas de lazer, os garotos não têm mais onde jogar futebol ou qualquer outro esporte. O jeito é jogar nas ruas mesmo (o futebol está no sangue). Uma vidraça quebrada, um corre-corre, uma batalha! É a guerra diária dos garotos da periferia, brigar para se divertir! Muitos desistem e procuram outras formas de passar o tempo. Terminam virando manchetes de jornal. “Olha aí, olha aí, é o meu guri”.