AOS ILUMINISTAS DE ONTEM, HOJE E AMANHÃ

Foi num dia 28 de julho como hoje, há 330 anos, que um grupo de revoltosos liderados por Maximilien Robespierre foi executado na França. Era o rescaldo da Revolução Francesa, na minha modesta opinião, uma das passagens históricas mais importantes da humanidade.  A base ideológica que moveu esse importante intento foi o iluminismo.

Quando estudei sobre o assunto na escola tradicional da década de 80, ensinaram-me que o movimento iluminista havia acontecido na Europa do século XVIII. Eu e tantos outros alunos, claro, fixamos a ideia de que aquilo tudo estava restrito ao passado. Os professores não contextualizavam. Aprendi, anos mais tarde, que Paulo Freire era um iluminista. Para muitos, inclusive, trouxe mais luz do que os intelectuais europeus do século XVIII.

Pesquisando a história de uma das escolas em que leciono – Amaury de Medeiros – descobri que a primeira diretora da instituição, a Professora Débora Feijó, foi, também, uma propagadora das luzes do saber. Ela, inclusive, serviu de inspiração para o próprio Paulo Freire, segundo relatos dele.  Débora Feijó elaborou as primeiras cartilhas de alfabetização de adultos de que se tem notícia. Parece pouco, mas não é. As pessoas fora de faixa não queriam estudar usando livros elaborados para crianças, sentiam-se constrangidos. Com a contribuição da professora Débora, essa barreira foi quebrada.

O que se deduz dos breves relatos acima?  No espaço de três séculos, pessoas de classes sociais e etnias diferentes, vivendo em sociedades diferentes, em diferentes partes do planeta, trabalharam em prol da humanidade seguindo uma mesma linha ideológica. Alguns com a inspiração francesa declarada em suas obras, outros, por intuição, acabaram praticando a mesma ação sem se aperceberem disso. A história foi sendo alinhavada a partir de ideologias naturalmente semelhantes. Mágico.


Por tudo isso e pelos iluministas – revoltosos ou não – que certamente surgirão, celebremos a memoria dos que pereceram na Revolução Francesa em nome da liberdade e da dignidade humana. Meus respeitos!

Comments

No responses to “AOS ILUMINISTAS DE ONTEM, HOJE E AMANHÔ