GRUPO DE JUDEUS QUE FUNDOU NOVA IORQUE SAIU DO RECIFE

A ligação histórica entre o Recife e a cidade de Nova Iorque era conhecida desde os tempos mais remotos, entretanto, somente em 1999 com uma descoberta arqueológica cinematográfica, essa ponte foi revelada. No século XVII quando os holandeses chegaram ao Recife, chegaram junto com eles muitos judeus que se juntaram a um grupo já residente na capitania.

No período em que Maurício de Nassau dominou a cidade, esse grupo religioso teve a tão sonhada liberdade de culto, (que era cerceada pelos portugueses por razões óbvias) e construiu a primeira sinagoga das Américas, a Kahal Zur Israel, na rua dos Judeus, atual rua do Bom Jesus (ironia do destino).

Em 1654, os holandeses foram expulsos definitivamente do Recife. A comunidade judaica ficou em situação de risco e muitos foram embora. Dessa pequena diáspora, um grupo de 23 judeus migrou para o pequeno povoado de Nova Amsterdã. Ali, segundo os livros de história dos Estados Unidos, fundaram a cidade de Nova York. Acelerando a nossa máquina do tempo chegamos ao ano de 1999. Foi nesse ano que a Federação Israelita de Pernambuco solicitou a coordenação do Laboratório de Arqueologia da UFPE um projeto visando descobrir o local exato onde funcionou a sinagoga Kahal Zur Israel.

Depois de um minucioso estudo, os arqueólogos chegaram ao prédio localizado no nº 197 da Rua do Bom Jesus. Várias escavações foram feitas, depois de retirada a terceira camada de piso encontraram uma estrutura circular de tijolo. Depois da análise de um tribunal de rabinos do Brasil e da Argentina, ficou comprovado que se tratava de um Mikvê, uma espécie de piscina de purificação usada nas sinagogas. Hoje em dia, a Kahal Zur Israel é um ponto turístico do Recife, visitada por gente de todo o mundo, é história viva.

A GRANDE DESCOBERTA
DETALHE DAS ESCAVÇÕES NO
PRÉDIO DA ANTIGA SINAGOGA
O MIKVÊ RESSURGE
A SINAGOGA KAHAL ZUR ISRAEL
RESTAURADA
A RUA DO BOM JESUS
PARA MAIS DETALHES SOBRE A LIGAÇÃO HISTÓRICA ENTRE RECIFE E NOVA IORQUE, ACESSE:

Comments

32 Responses to “GRUPO DE JUDEUS QUE FUNDOU NOVA IORQUE SAIU DO RECIFE”

Martins disse...
15 de março de 2008 00:51

Só nitícias interessantes. Bacana teu blog..

15 de março de 2008 01:36

Que interessante...
Só que eles eram holandeses!
Se fossem brasileiros dai sim ia ser mais interessante!!!

Abraço

http://dihdusbeko.blogspot.com/

blog disse...
15 de março de 2008 08:17

Sim, a primeira sinagoga das Américas nasceu em recife.
Interessante como um local cristão ao extremo possa simbolizar o judaísmo em sua essência, mesmo sendo eles segregados.
Hoje NY é a pátria deles - embora eles exijam Israel com todas as forças.

Kemp disse...
15 de março de 2008 10:21

Taí uma ótima curiosidade! Algo que nem imaginamos!
Parabéns!

Nana Lopes disse...
15 de março de 2008 18:27

Excelente sua postagem!!
Parabens!

Tati disse...
15 de março de 2008 18:56

Eu não conhecia seu blog, mas pelo pouco que pude conferir, é muito bom. Gostei dos posts, e achei esse realmente muito bom. Voltarei.

15 de março de 2008 20:09

Adorei a postagem faço turismo estou começando agora e esse tipo de informação eh muito bom pra mim, adorei vou voltar.
Bjs.

16 de março de 2008 06:48

bem innterresante
otimo

16 de março de 2008 14:05

Muito interessante Ed. Realmente blog como o seu nos acrescente um pouco mais de conhecimento e cultura.

Abs

Manuela disse...
16 de março de 2008 16:33

Não entendi o quanto gostaria, mas... tá valendo!

Ana Marques disse...
16 de março de 2008 22:40

Adoro história.
E acho importantíssimo conhecermos a nossa, porque é através dela que podemos compreender (na medida do possível) como os fatos contados a nós se passaram.

José Vitor Rack disse...
16 de março de 2008 23:12

estudei muito o povo judeu para escrever uma peça e me deparei com essa história. muito bacana ter um blog com conteúdo tão interessante. parabéns.

SINOPSE INACABADA

IDÉIA NOVA

16 de março de 2008 23:58

Isso dá margens a várias teorias e conspirações que estão rondando minha mente.
Excelente conteúdo.

Zeca disse...
17 de março de 2008 01:39

Interessante essa parada,maneiro.
Ia morrer sem saber.
parabéns

http://zecanet.blogspot.com/

17 de março de 2008 09:49

Muito boa esta Matéria relacionando NY e Recife.
O que me deixa confuso são as datas NY é bam mais antiga que recife.....

[]s L.Sakssida

ED CAVALCANTE disse...
17 de março de 2008 10:52

Meu nobre vampiro, segundo os livros de história, Nova York foi fundada em 1624, justamente com a chegada do Judeus a que me refiro no post. A cidade do Recife foi fundada em 1537, é bem mais velha que a Big Aplle.

17 de março de 2008 11:47

A região onde actualmente se localiza a cidade de Nova Iorque era habitada anteriormente por nativos americanos, principalmente pelo povo nativo americano Lenape. Acredita-se que o primeiro explorador europeu a explorar a região foi o italiano Giovanni da Verrazano, em serviço ao Rei Francisco I de França. Verrazzano desembarcou na atual ilha de Staten, em 1524, enquanto explorava a costa americana.
Outros exploradores também passaram pela região, após Verrazzano, seguindo descrições dadas pelos nativos Lenape, sobre a existência de uma ilha que eles chamavam de Manahata, mas nenhum deles conseguiu localizar a tal ilha, que é atualmente Manhattan. Foi somente em 1609 que Henry Hudson localizou e desembarcou na ilha de Manhattan. Hudson era um inglês em serviço dos Países Baixos, e, naturalmente, os neerlandeses tomaram posse da área descoberta. Eles nomearam a região de Novos Países Baixos.
Em 1613, o explorador e comerciante neerlandês Adriaen Block e sua tripulação tornaram-se os primeiros europeus a viverem na ilha de Manhattan, quando passaram o inverno deste ano na ilha, em pequenas cabanas de palha, devido a um incêndio que destruiu do navio em que eles viajavam. No final do inverno, já em 1614, Adrien e sua tripulação construíram um novo navio, e saíram de Manhattan na primavera.
Em 1624, a Companhia Holandesa das Índias Orientais, uma empresa de comércio e colonização, mandou um grupo de assentadores à Manhattan. Em 1625, tais assentadores construíram uma cidade e um forte chamado Forte Amsterdam, no sul da ilha. No ano seguinte, o governador dos Novos Países Baixos comprou aos nativos algoquian o terreno da ilha de Manhattan por produtos (cujo valor total era de 24 dólares americanos, em valores atuais).
A cidade construída na ilha de Manhattan logo foi nomeada de Nova Amsterdam. Nova Amsterdam cresceu lentamente durante seus primeiros anos, por causa da péssima administração dos primeiros governadores mandados pela metrópole, para a administração Novos Países Baixos. Mas, em 1647, com o competente Peter Stuyvesant assumindo este cargo, a colônia neerlandesa prosperou rapidamente.
Cerca de mil habitantes viviam na cidade, por volta de 1650. Em 1653, os colonizadores construíram uma muralha ao sul da cidade, por medo de ataques dos nativos americanos. Mas o muro caiu em poucos anos, e em seu lugar, os colonizadores construíram uma rua, que seria posteriomente conhecida como Wall Street.
A prosperidade económica da cidade e a pouca importância dada pelos governadores da colónia neerlandesa ao balanço étnico-racial da comunidade, atraiu imigrantes como espanhóis e judeus e africanos. Entre eles, em 1654, um grupo de judeus, que haviam sido expulsos do Brasil.
1674 - 1760
Os Países Baixos e a Inglaterra enfrentaram-se em três guerras, as Guerras Anglo-Neerlandesas, que duraram entre 1652 a 1670. Em 1664, a força naval inglesa forçou entrada na baía de Nova Iorque, e capturando a cidade de Nova Iorque enfrentando mínima resistência dos habitantes da cidade. Os ingleses renomearam a cidade de New York, em homenagem a James, Duque de York.
Em 1673, os neerlandeses recuperaram novamente a cidade, e o renomearam de New Orange, mas um ano depois, em 1674, cederam definitivamente a cidade aos ingleses (bem como toda a região de Novos Países Baixos), após a derrota neerlandesa na Terceira Guerra Anglo-Neerlandesa.
A cidade cresceu rapidamente sob controle inglês. Em 1700, a cidade possuía uma população de sete mil habitantes, e ruas e estruturas cobriam a parte inferior de Manhattan. O primeiro jornal diário da cidade, o New York Gazette, foi impresso pela primeira vez em 1725. Liberdade de imprensa foi instituída em 1735. Em 1754, foi construída a primeira faculdade da cidade, a King's College, que é atualmente a Universidade de Columbia. Em 1756, o Dia de São Patrício foi celebrada em 17 de março, que desde então é famosa mundialmente como a parada de São Patrício, que é um feriado na cidade e tem influência direta dos imigrantes Irlandeses - as pessoas saem às ruas vestidos de verde para o desfile.
Pelo que sei estes judeus não acrecentaram nada na fundação de NY.


[]s L.Sakssida

Leonardo Dognani disse...
17 de março de 2008 16:46

fala rapaz!
^^
Interessante o artigo, o que mais é relevante é a descoberta dos Judeus e da sinagoga^^
fato histórico.
^^

Abraços.

mickey disse...
17 de março de 2008 19:43

post enorme mas li cara, poh interessante saber disso, neh....

depois passa no meu vlw

ED CAVALCANTE disse...
17 de março de 2008 22:38

A MINHA INTENÇAO NÃO ERA CRIAR UM FÓRUM DE DISCUSSÃO, MAS DEIXO AQUI, MEU NOBRE VAMPIRO, ALGUNS SITES QUE CORROBORAM O QUE FALO NO POST:
http://www.morasha.com.br/conteudo/ed35/saga.htm

http://www.chazit.com/cybersio/olam/brasil.html

http://www.pernambuco.com/diario/2004/01/05/especialholandesesf272_0.html

http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2004/09/040908_exposicaorg.shtml

QUEM TIVER DÚVIDA, É SÓ CONFERIR, ENTRE OS SITES ACIMA ESTÁ O DA BBC, QUE DISPENSA COMENTÁRIOS!

Vanessa disse...
18 de março de 2008 00:04

Nossa...
eu nao sabia disso!

pow..seu blog tem coisas muito bacanas!
noticias sem bla bla...
bom para o conhecimento

18 de março de 2008 02:12

Mais um aspecto de nossa história que a maioria desconhece. E, muitos desses judeus, descansam hoje num cemitério nova-iorquino famoso.

Thay disse...
18 de março de 2008 16:07

olá professor! queria agradecer seu comentário e dizer que alguns professores aposentados colaboram sim, mas tem alguns que realmente já passaram da hora...
E eu durmo cedo, o problema é realmente acordar, se fosse um pouquinho mais tarde já daria pra organizar melhor, mas levantar as 5:30, é complicado e quem é que gosta d acordar cedo, né?!

pode vontar e dar o pitaco que quiser. Será sempre bem vindo

beijinhos

dbaskt disse...
18 de março de 2008 16:36

muito bom blog.

abraço


www.locupletado.wordpress.com

gu disse...
19 de março de 2008 00:39

muito bom seu blog!
parabens, sucesso

Katarina disse...
19 de março de 2008 11:19

ED, adoro seu blog pq trata de tudo. Sempre tem alguma coisa interessante por aqui.
Quer dizer que os judeus que fundaram NY passaram antes por aqui? Deixa os skinheads saberem disso...;-) (piadinha de mal gosto, desculpe)

Katarina disse...
19 de março de 2008 14:08

ED, nao fale assim. Se ainda nao viveu uma paixão platônica, espero sinceramente que econtre uma, rs. Ora, amor platônico e paixão platônica sao quase a mesma coisa, só que um é amor e outro é paixão. Mas essas definições sao coisas de poeta, é discutir o sexo dos anjos e semântica... ;-)

24 de março de 2008 21:37

Adoro seu blog, porque gosto de debater, gosto de história e, principalmente, gosto de ser elogiada por isso sempre vou voltar aqui com o maior prazer.
Muito interessante o paralelo que você fez, pois eu não conhecia essa história entre Recife e Nova Iorque.

Beijo*

Charles Erlan disse...
15 de janeiro de 2015 14:33

Só tem um detalhe nessa história que não é real. Nenhum Holandês foi expulso de Pernambuco, o que houve de fato foi um acordo que envolveu dinheiro e outros bens de valores da época. Parte desse documento está no instituto Ricardo Brennand e, Recife. o curioso é que esses documentos pertecem a Noruega.

JotaPê disse...
23 de abril de 2016 11:08

Vamos lá.
Vocês já ouviram falar de judeus sefarditas?
Pois é esses caras só existiam na Península Ibérica e foram eles que financiaram as descobertas do novo mundo.
Portugal e Espanha os expulsou e eles se instalaram entre outros locais.
Aí fundaram a Companhia das Índias Orientais com mercenários e navegando com bandeira Holandesa pagando uma percentagem do que exploravam e vieram tentar recuperar o seu investimento.
O resto já sabem. Mas em menos de 20 anos no Brasil não tem brasileiros aqui. Tem judeus sefarditas portugueses de sobrenomes Pereira, Silva etc. que mais uma vez expulsos se não adotassem a religião católica, se instalaram em Nova Amsterdã, atual Nova York e contribuíram para a construção e desenvolvimento da cidade.
Judeus sefarditas eram judeus ricos e cultos.

Victor Jean disse...
24 de julho de 2017 21:16

Tão interessante quanto intrigante. Nos faz pensar que o Brasil seria uma potencia mundial, já que estes fundaram Wall Street onde o dinheiro nunca dorme.

ED CAVALCANTE disse...
24 de julho de 2017 22:59

Sem dúvida, amigo, mas o dinheiro e o que ele pode fazer, me assusta.