Estudo vincula hábito de assistir maratonas de séries à depressão


Para quem é viciado em seriados de tevê, realizar maratonas para se atualizar em uma série é algo corriqueiro. Pois bem, um estudo da Universidade do Texas (EUA) vincula esse hábito à depressão e a solidão extrema. A pesquisa foi realizada com um grupo restrito de série maníacos com idades entre 19 e 29. O estudo apontou tendências depressivas nos jovens que, habitualmente, realizam maratonas de episódios. Alguns dos pesquisados afirmaram que as maratonas passaram a fazer parte do cotidiano sendo praticamente impossível viver sem esse entretenimento. Com a popularização do serviço de streaming como a Netflix, a maratona de episódio foi sedimentada. Como os seriados são disponibilizados completos, as pessoas – mesmo as que não assistiam vários episódios de uma vez – passaram a ver não apenas episódios e sim, temporadas completas. A indústria do entretenimento televisivo comemora o boom do seguimento! E você, curte esse tipo de diversão?

Comments

2 Responses to “Estudo vincula hábito de assistir maratonas de séries à depressão”

Unknown disse...
19 de agosto de 2016 14:05

Assistir série é ótimo!
A depressão vem quando acaba a temporada e temos que esperar até o outro ano pra continuar assistindo.

ED CAVALCANTE disse...
19 de agosto de 2016 19:48

Penso assim também! Mas com uma variedade tão grande de séries, tudo resolvido!

if (myclass.test(classes)) { var container = elem[i]; for (var b = 0; b < container.childNodes.length; b++) { var item = container.childNodes[b].className; if (myTitleContainer.test(item)) { var link = container.childNodes[b].getElementsByTagName('a'); if (typeof(link[0]) != 'undefined') { var url = link[0].href; var title = link[0].innerHTML; } else { var url = document.url; var title = container.childNodes[b].innerHTML; } if (typeof(url) == 'undefined'|| url == 'undefined' ){ url = window.location.href; } var singleq = new RegExp("'", 'g'); var doubleq = new RegExp('"', 'g'); title = title.replace(singleq, ''', 'gi'); title = title.replace(doubleq, '"', 'gi'); } if (myPostContent.test(item)) { var footer = container.childNodes[b]; } } var addthis_tool_flag = true; var addthis_class = new RegExp('addthis_toolbox'); var div_tag = this.getElementsByTagName('div'); for (var j = 0; j < div_tag.length; j++) { var div_classes = div_tag[j].className; if (addthis_class.test(div_classes)) { if(div_tag[j].getAttribute("addthis:url") == encodeURI(url)) { addthis_tool_flag = false; } } } if(addthis_tool_flag) { var n = document.createElement('div'); var at = "
"; n.innerHTML = at; container.insertBefore(n , footer); } } } return true; }; document.doAT('hentry');