"SIMPLES DE CORAÇÃO"

Reedição

A vida é realmente um mistério, isso( e mais algumas coisas) é o que me mantém vivo. Durante um certo tempo, lá pelos vinte, vinte e dois anos, minha cabeça fervilhava de ideias mirabolantes, eu mudava de opinião e de objetivos como quem troca uma camisa, uma metamorfose ambulante, como diria o Raul. Bom, mas o tempo passa, e ao contrário do que todos pensam, ele as vezes é lento. Lembrei-me dessa fase da minha vida porque o que me faz feliz hoje em dia, ao contrário de 20 anos atrás, são as coisas simples.

Objetividade, esse é o meu lema atual, viver é muito mais simples do que pensamos. As pessoas (de um jeito quase que padronizado) costumam abandonar as coisas simples que dão prazer,normalmente, depois dos vinte e cinco anos. Ir ao cinema, ler a revista preferida, colecionar discos, filmes, tudo isso vai sendo deixado de lado em nome de uma "vida séria" (???????). Pode fazer o teste, se você tem mais de trinta e está numa roda de amigos, num bar, e diz que foi ao cinema, vai ouvir de dois ou três deles: "faz tempo que eu não faço isso". Estou conseguindo curar meu estresse porque ainda ouço (e coleciono) meus discos, vejo (e coleciono, como coleciono) meus filmes, de vez em quando encontro com os amigos, e cada vez menos me preocupo com Hugo Chaves, Freud, tocha olímpica... Eu ainda ouço os Beatles!

Ps: "Já perdemos muito tempo brincando de perfeição,esquecemos o que somos: simples de coração" (Humberto Gessinger).

Comments

19 Responses to “"SIMPLES DE CORAÇÃO"”

Daniel Dias disse...
25 de abril de 2008 22:36

apesar de ter 17 anos
quero ficar assim
asuhauhs xD
ótimo blog rapaz

25 de abril de 2008 22:38

eu ainda ouço beatles & pink floyd. a música cura. sem musica a vida seria um exílio.

Marindia disse...
25 de abril de 2008 22:51

Ooi, eu sou aquela que esqueceu de por o link do meu blog! haha.. mas tá aí entao, se quizer visitar.. acabei de faze-lo porisso ainda meia perdida né, se puder dar uma ajudinha fico mto grata.
bjin ;)

Alcione Torres disse...
25 de abril de 2008 23:15

Tenho um presentinho pra vc no meu blog!
http://sarapateldecoruja.blogspot.com/2008/04/total-force.html
Tomara que goste!
Abs.

Alcione Torres disse...
25 de abril de 2008 23:54

Puxa, me tocou mesmo. Ando deixando tanta coisa de lado...
Sarapatel de Coruja

Daniel Leite disse...
26 de abril de 2008 00:36

Claro! A vida é tão simples, não deve ser complicada. Devemos fazer as coisas de que gostamos, e analisando prudentemente as conseqüências.

Até mais!

[Gustaff] disse...
26 de abril de 2008 11:09

o pior é que eu acho que to entrando nessa dança de "vida séria" já...
e olha q eu so tenho 21...
as pessoas me dizem pra eu ficar mais tranquilo, levar a vida com menos compromisso, ser menos sério e menos sistemático...

enfim...

http://gustaffsgrimoire.blogspot.com/

Natália Coelho disse...
26 de abril de 2008 13:28

Mesmo com apenas 17 anos, eu já percebi que sou mais feliz quando estou fazendo simplismente nada com quem amo do que procurando farra que eu não nego,gosto também. Mas depois da festa,do show,aquela felicidade passa.
As coisas duradouras são melhores.
Ainda estou na fase da metamorfose,acho que é comum entre os jovens não? Você foi assim,eu sou assim e mais um bocado de gente né mesmo?

Abraços

Ah,obrigada pelo elogio.É sempre bom ouvir!

Fernanda disse...
26 de abril de 2008 13:29

Mto bom o blog, inteligente, boas sacadas. Parabens

Sucesso

Rafael Moreira disse...
26 de abril de 2008 13:31

Pouco me importa os problemas que acontece no mundo...

Faço a minha parte para mudá-lo e sei que erro também.

Assito o jornal e tudo o que vejo é violência, (O caso Isabela, que enche o saco) e é difícil tem uma notícia boa, que nos deixe realmente contentes!!!

Como diz o comercial da Kuat: "A Gente Muda, O Mundo Muda"

Nunca o dia seguinte é igual ao anterior, se pensa assim está totalmente alienado na vida!

As coisa que me deixam mais feliz são coisas tão simples: Ficar com a família ou amigos, ir ao cinema...

Eu só vivo o presente intensamente, preocupando-me com o futuro!

Até mais!

Parabéns pelo blog ;)

danisiinha disse...
26 de abril de 2008 13:33

amei o texto...
tenho 26 e já me identifico...
gostei muito do blog...

www.daniilopes.blogspot.com

santi.dx disse...
26 de abril de 2008 13:52

Legal seu poste goste

http://www.rangervermelho.blogspot.com/

Vini disse...
26 de abril de 2008 14:29

To na fase dos 20 e poucos anos e a vida realmente parece complicada demais, espero que isso passe...
rsrsrs
tá mais
http://viniverso.blogspot.com/

Aline Dias disse...
26 de abril de 2008 15:27

ouvir os beatles é fundamental!
faz bem pra pele.

blog disse...
26 de abril de 2008 18:16

Pois digo a vc que isso é reflexo do individualismo exacerbado em que vivemos.
Voltamo-nos para nossos discos, livros e amigos porque não há como confiar nos outros.
Tudo apodrece. Essa é a triste verdade.

Milla disse...
26 de abril de 2008 22:25

Não cheguei aos trinta ainda e estou longe disso, rs... mas tenho alguns amigos de 30 e 40 anos... Não sei se ainda guardam coisas do passado, mas ainda olham pro presente e futuro, e enxergam mil possibilidades. Talvez aí esteja o segredo.

Bjs

Auréola Branca disse...
28 de abril de 2008 19:37

Estou com 26 anos e a responsabilidade bate à minha porta todos os dias. Realmente não sei mais o que é me divertir sem preocupação, ter um tempo livre só pra mim.
Por que será que as coisas nos são tiradas assim?
Abraços.

aline disse...
2 de maio de 2008 22:03

oi! teu blog é mto autentico e gostei especialmente desse texto... assim reflexivo!

eu tenho apreço pelas coisas simples e grandes que às vezes nos ficam ocultas...

por isso escolhi as crianças... porque a elas ainda conservam a sabedoria da simplicidade da vida.

abraços!

kekedascully disse...
3 de maio de 2008 20:09

Suas palavras expõem exatamente o que penso. Já cheugei aos trinta e poucos :). Gosto de gastar meu tempo com as coisas e pessoas de que gosto: cinema, sair (ficar em casa) com os amigos, música, agora meu mais recente passatempo é escrever poesias. O ser humano ama complicar tudo e isso acaba tornando a vida difícil ou dolorosa de ser vivida. :(