CARNAVAL DE PERNAMBUCO 2010 – RADIOGRAFIA DOS POLOS

Uma das grandes sacadas do carnaval de Pernambuco nos últimos anos, sem dúvida, foi a diversificação dos polos. Partindo do óbvio principio de que a principal riqueza do carnaval pernambucano era a pluralidade, nada mais lógico do que explorar a diversificação. O “Carnaval Multicultural” é uma grande colcha de retalhos estendida por sobre o território pernambucano. Abaixo, teço alguns comentários sobre cada um dos polos

Recife: O carnaval do Recife é um dos mais celebrados do Brasil. Começa com a apoteose do “Galo da Madrugada”, maior bloco carnavalesco do mundo, que desfila no Sábado de Zé Pereira. Depois do advento do “Carnaval Multicultural” a cidade do Recife foi dividida em polos de bairros, que atendem a diversas manifestações culturais diferentes: Mangue Beat, frevo de bloco, música eletrônica, caboclinhos, maracatu rural e de baque virado, escolas de samba, frevo de rua, afoxés, bois, ursos, entre outros. O carnaval do Recife é, por definição, um resumo do carnaval de Pernambuco.

Olinda: a cidade tem o carnaval de rua mais conhecido do Brasil. Por esse motivo é quase  impossível precisar a quantidade de blocos e troças que desfilam pelas ladeiras do sítio histórico. Dentre os mais conhecidos, destacam-se; Clube Vassourinhas, Pitombeira dos Quatro Cantos, Ceroula, Elefantes, Marim dos Caetés, Eu Acho é Pouco, Bloco Lírico Flor da Lira, Siri Na Lata, Grêmio Recreativo Escola de Samba Preto Velho, Patusco e D’Breck e o Bacalhau do Batata. O carnaval de rua de Olinda prima pela tradição e pelo grande número de agremiações.

Águas Belas: o carnaval dessa cidade agrestina é fortemente influenciado pela tradição indígena. Águas Belas é a terra dos índios Fulni-ô. A proposta desse polo é mesclar a tradição indígena com os blocos carnavalescos. Os dois principais grupos indígenas são o “Fethxa “ e a “Banda Fulni-ô” . Entre os blocos, destacam-se o “Berrador”, o Zumbi e o “Beija-Flor”.

Belém do São Francisco: nesse polo o carnaval se assemelha ao de Olinda. Dois bonecos gigantes se destacam na folia de Momo: Zé Pereira e Vitalina. O frevo impera tanto nos desfiles dos bonecos como no desfile dos blocos Nego D'água, Galo da Madrugada e Pereirinha, que complementam o carnaval da cidade. A semelhança com Olinda atraiu, nos últimos anos,  a participação de troças de outras cidades, dentre elas: Homem da Meia-Noite (Olinda) e a Bicharada de Mestre Jaime (Salgueiro).

Bezerros: o grande destaque desse polo, sem dúvida, é o desfile dos Papangus que dá a tônica da folia. Mas o carnaval da cidade é subdividido em três polos: O Cultural, o São Sebastião e o QG do Frevo. Durante o reinado de Momo, mais de 500 mil pessoas entopem as ruas da cidade. É um dos polos mais movimentados do carnaval Pernambucano.

Catende: o carnaval de Catende tem como principal atração a “Mulher da Sombrinha” uma agremiação que tem como principal atrativo seu bizarro ponto de concentração: o cemitério da cidade. A troça nasceu a partir de um mito: na década de 1920, alguns operários, ao terminar a jornada de trabalho, eram seduzidos por uma mulher loira e estonteante que os levava a um passeio. Ao chegar à porta do cemitério, a mulher simplesmente desaparecia e os operários ficavam assustados, espalhando medo pela cidade. O que no passado gerava medo, hoje em dia gera felicidade e diversão.

Goiana: esse polo tem como grande destaque o caboclinho. Os grupos mais tradicionais desse gênero - Caetés, Sete Flechas, Canindé e Tabajara - são da cidade de Goiana que , por isso, é conhecida com “Terra dos Caboclinhos”. Além da influência indígena existe a influência africana. O grupo “Pretinhas do Congo”, do bairro Balde do Rio e da praia de Carne de Vaca, desfila há mais de 100 anos configurando-se como uma das agremiações mais tradicionais da cultura pernambucana.

Ipojuca: o carnaval da cidade é marcado pela presença de pequenos blocos que arrastam milhares de foliões pela ruas. Destacam-se: “Bloco da Sucata,o Rombo, o Tricolor em Folia, o Titório e o Zitão”. Em Porto de Galinhas, por conta da força do turismo, a prefeitura organiza apresentações itinerantes de grupos que se revezam para manter a folia viva. Destacam-se: “o Bloco das Galinhas", o "Bloco Piratas", o "Bloco do Batatinha", além do "Alfaias da Praia”, formado por comerciantes locais. Já em Serrambi, é o “Boca Mole” quem garante a folia.

Itamaracá: A marca do carnaval praieiro de Itamaracá é o frevo. Mais de cinquenta blocos desfilam durante o reinado de Momo. Os dois grandes destaques são os blocos “As Catraias” e o “Bafo de Bode”. Ao cair da noite, em vários pontos da ilha, é possível se divertir com outra grande tradição local: a ciranda.

Nazaré da Mata: esse polo é marcado por uma das mais espetaculares manifestações culturais de Pernambuco: o Maracatu Rural (baque solto). A imponente imagem do Caboclo de Lança, que simboliza o Maracatu Rural, é também usada como um dos símbolos do carnaval de pernambuco. O grande destaque é o “Maracatu Cambinda Brasileira”, o mais antigo do estado, fundado em 1898.

Paudalho: o carnaval de Paudalho tem como principal marca a miscigenação. A cultura afro-indígena influenciou fortemente as festas de Momo. O grande destaque desse polo é o “Banho de Frevo”, que se estende pelos três dias de carnaval. O Maracatu Rural também tem forte presença na cidade.

Pesqueira: o carnaval desse polo, apesar de ter como destaque o desfile dos “Caiporas”, apresenta um grande diversificação passando pelo samba, o coco e as troças carnavalescas. Os grandes destaques desse polo são: “Os Caiporas”, a “Escola de Samba Labariri”, o “Coco Cancão Piô”c e as “Cambindas Velhas”.

Petrolina: a marca desse polo é a diversidade. A maior cidade do Sertão do São Francisco é tomada por maracatus, caboclinhos, blocos líricos, troças, orquestras de frevo e afoxés. Mais ligado às tradições da cidade, o grande destaque é o chamado “Samba do Veio”, uma dança de origem negra e indígena que mistura tamborete, instrumento de corda e pandeiro.

Salgueiro: o carnaval desse polo é marcado pelo desfile da “Bicharada do Mestre Jaime”, uma tradição de mais de 50 anos. Além dos bonecos do Mestre Jaime, aproximadamente 30 blocos são responsáveis pela animação dos festejos de Momo, dentre eles: o Bloco de Zé Pereira, os Insetos, o Maluco Beleza, o Cururu S/A, o Só Zueira, e o Curtume.

Timbaúba: nesse polo, o grande destaque é o desfile dos bois. No carnaval desse ano, a Fundarpe promoverá um encontro de bois de diversas localidades. Na cidade de Timbaúba, a prática do mela-mela se mantém presente até hoje.

Triunfo: a marca do carnaval desse polo é a face carrancuda dos “Caretas”, grupos de mascarados que desfilam fazendo barulho com seus chicotes. Além dos “Caretas”, dois blocos se destacam: o Bloco da Galinha, que desfila na sexta-feira, e o Anac, agremiação satírica cujo sentido do nome só é entendido quando lido ao contrário.

Vitória de Santo Antão: a marca desse polo é a rivalidade entre os blocos mais tradicionais da cidade. Dentre eles, destacam-se: Clube Vassouras, o Camelo, o Clube Abanadores e O Leão. Nos últimos anos, outros blocos também cresceram como o Clube da Girafa, o Clube do Coelho e o Clube do Cisne, ou Motoristas.



Abaixo, os links para os demais vídeos promocionais:

Comments

One response to “CARNAVAL DE PERNAMBUCO 2010 – RADIOGRAFIA DOS POLOS”

Mirtes disse...
11 de fevereiro de 2010 22:32

Nossa!! me arrepiei com suas palavras, fui inundada por um sentimento de fragilidade, imcapacidade, ódio, repulsa e sei lá mas o que, foi muita coisa. Que mundo nós vivemos!

Abraços