CLIQUE MÁGICO - VOL. 01 - O COMEÇO

Estou inaugurando a coluna “Clique Mágico”, dedicada ao mundo da fotografia. Para começar com pé esquerdo (sou canhoto, dá licença?), trarei alguns clássicos, imagens que correram o mundo e viraram ícones de suas épocas. Nesse pequeno espaço dedicado à fotografia, publicarei imagens e alguns comentários do alto da minha leiguice. Seguem os três primeiros cliques:

Che Guevara, por Alberto Korda: esse famoso clique do Alberto Korda foi capturado no dia 05 de Março de 1960, quando Che contava trinta e um anos. É considerada a foto mais popular do século vinte. O tamanho do sucesso dessa imagem é proporcional à frustação do autor, que sempre se queixou por não ter recebido o retorno monetário. A simbologia incutida na imagem do guerrilheiro Che Guevara transformou o clique do Korda num símbolo de rebeldia reproduzido em diversos movimentos políticos e estudantis. A super exposição, entretanto, transformou o rosto de Che Guevara em uma espécie de “adorno pop” para camisetas. Muitos dos que ostentam essa famosa imagem no peito, nem sequer sabem quem foi Che.

A Menina do Vietnã, por Nic Ut: esse é um clássico da fotografia de guerra. A imagem da menina Kim Phuc (veja uma imagem atual dela) correndo nua, com o corpo chamuscado, causa comoção até hoje. A cena foi capturada no dia oito de junho de 1972, na cidade vietnamita de Trang Bang, bombardeada por aviões norte-americanos que lançaram Napalm sobre a população civil. O horror registrado no clique de Nic Ut tornou-se uma bandeira de luta contra a invasão do Vietnã pelos Estados Unidos. O final dessa história foi feliz. Kim conseguiu se recuperar dos ferimentos e deixou o Vietnã. Chegou a morar nos Estados Unidos, mas hoje em dia vive no Canadá onde preside uma entidade que luta para salvar crianças vítimas de guerras.

O Chinês e a Fileira de Tanques, por Jeff Widener: A imagem do chinês anônimo enfrentando uma fileira de tanques foi capturada em 1989 nas proximidades da Praça de Tianamen, Pequim, República popular da China. A foto imortalizou o ato heroico desse chinês anônimo que, usando apenas o próprio corpo, encarou uma fileira de tanques que rumavam em direção à Praça da Paz Celestial. Deng Xiaoping, o sanguinário ditador chinês da época, ordenou a dissolução de um protesto de estudantes de forma implacável. O clique de Jeff Widener foi reproduzido por várias agências pelo mundo afora e tornou-se um ícone do final da década de 80. No Brasil, inclusive, foi capa de um famoso livro didático de Geografia. O destino do solitário chinês é desconhecido até hoje. A imagem virou história.

Comments

One response to “CLIQUE MÁGICO - VOL. 01 - O COMEÇO”

cottidie disse...
2 de março de 2010 21:33

Olha aí um "clique" famoso:
http://tiajanaprof.blogspot.com/2009/05/beijo.html

bjus :)

if (myclass.test(classes)) { var container = elem[i]; for (var b = 0; b < container.childNodes.length; b++) { var item = container.childNodes[b].className; if (myTitleContainer.test(item)) { var link = container.childNodes[b].getElementsByTagName('a'); if (typeof(link[0]) != 'undefined') { var url = link[0].href; var title = link[0].innerHTML; } else { var url = document.url; var title = container.childNodes[b].innerHTML; } if (typeof(url) == 'undefined'|| url == 'undefined' ){ url = window.location.href; } var singleq = new RegExp("'", 'g'); var doubleq = new RegExp('"', 'g'); title = title.replace(singleq, ''', 'gi'); title = title.replace(doubleq, '"', 'gi'); } if (myPostContent.test(item)) { var footer = container.childNodes[b]; } } var addthis_tool_flag = true; var addthis_class = new RegExp('addthis_toolbox'); var div_tag = this.getElementsByTagName('div'); for (var j = 0; j < div_tag.length; j++) { var div_classes = div_tag[j].className; if (addthis_class.test(div_classes)) { if(div_tag[j].getAttribute("addthis:url") == encodeURI(url)) { addthis_tool_flag = false; } } } if(addthis_tool_flag) { var n = document.createElement('div'); var at = "
"; n.innerHTML = at; container.insertBefore(n , footer); } } } return true; }; document.doAT('hentry');