A CONFIRMAÇÃO DA FARSA CRIADA PARA ENCOBRIR O ASSASSINATO DE HERZOG

A mídia noticia, hoje, o que todo mundo jà sabia: a emblemática imagem do enforcamento de Vladimir Herzog foi uma farsa montada pela Ditadura Militar. Silvaldo Leung Vieira, autor da foto, trabalhava, na época, no Instituto de Criminalística de São Paulo, vinculado ao temido DOPS. A imagem do jornalista Herzog foi veiculada pelos militares como sendo de um suicídio.

Silvaldo Vieira, quatro anos após a farsa, fugiu do país e viveu escondido até ser encontrado por Lucas Ferraz, repórter da Folha de São Paulo. Na época da foto, Silvaldo era recém-ingresso na polícia, tinha apenas 22 anos. Segundo ele, a foto do cadáver de Herzog teria sido uma espécie de “aula prática”. Depois da repercussão do caso, Silvaldo saiu do país e vive até hoje em Los Angeles. O fotógrafo revelou, ainda, que carrega até hoje uma imensa tristeza “por ter sido usado” pela ditadura.

Na verdade, o tiro saiu pela culatra. A farsa foi tão mal feita que qualquer leigo, ao analisar a foto feita por Silvado, percebia se tratar de uma armação. O corpo de Herzog foi colocado suspenso a uma altura de aproximadamente 1,63m, deixado seus membros inferiores quase dobrados. A veiculação da imagem fez com que a opinião publica se manifestasse com mais veemência e a linha dura do governo militar  que pressionava o presidente Ernesto Geisel para atuar com mais firmeza – leia-se, violência – acabou sendo abafada pelo clamor público.

A imagem de Vladimir Herzog semi-dependurado tornou-se um ícone da luta contra a ditadura servindo até, segundo alguns analistas políticos, de inspiração para os movimentos em prol da redemocratização do Brasil. Uma das páginas mais obscuras da história recente do Brasil, enfim, foi devidamente esclarecida.

Em respeito a Vladimir Herzog e sua família

Comments

2 Responses to “A CONFIRMAÇÃO DA FARSA CRIADA PARA ENCOBRIR O ASSASSINATO DE HERZOG”

Sidclay disse...
10 de fevereiro de 2012 13:11

Eu ainda acho que esse período é pouco explorado no Brasil. A ditadura precisa ser discutida com mais ênfase e só quem eu vejo tocar no assunto são pessoas que vivenciaram o período, muito pouco...

ED CAVALCANTE disse...
11 de fevereiro de 2012 09:07

Muuuuuita coisa ainda precisa ser explicado.