"A GUERRA DOS MENINOS"

A idéia desse post surgiu depois de um comentário de um aluno numa aula sobre população: "professor, os pobres de hoje são tudo metido, não querem mais construir casa, só duplex". O nobre aluno fez uma observação pertinente, mas com uma justificativa equivocada. Quando estudamos sobre ocupação do espaço, uma das primeiras coisas que aprendemos é que o espaço é ocupado de duas formas: primeiramente a ocupação é horizontal. Enquanto existe disponibilidade de terrenos, as construções vão surgindo. Até mais ou menos a década de 1960, quando os casais estavam perto de consolidar o matrimonio, saiam à procura de um terreno para construir o "lar doce lar". Depois que a ocupação horizontal se consolida, inicia-se a segunda forma de ocupação: a vertical. Muito mais por uma questão de necessidade que por vaidade. Não é porque as pessoas são "metidas", como observou o aluno. O crescimento vertical é um processo natural e lógico. Não podendo mais crescer para os lados, o céu passa a ser o limite e, em casos extremos, o subsolo também é ocupado, como ocorre no Japão e na Coréia do Sul. Quanto a "Guerra dos Meninos", eu explico: sem espaço, sem terrenos baldios e quase sem áreas de lazer, os garotos não têm mais onde jogar futebol ou qualquer outro esporte. O jeito é jogar nas ruas mesmo (o futebol está no sangue). Uma vidraça quebrada, um corre-corre, uma batalha! É a guerra diária dos garotos da periferia, brigar para se divertir! Muitos desistem e procuram outras formas de passar o tempo. Terminam virando manchetes de jornal. “Olha aí, olha aí, é o meu guri”.

Comments

10 Responses to “"A GUERRA DOS MENINOS"”

Inaldinho disse...
24 de agosto de 2007 21:05

é a verticalização da pobreza, do desemprego, do subemprego, da falta de perspectivas, da gravidez indesejada..! Não me espantaria em nada se em pouco tempo tivessemaos moradias no subsolo na periferia, mas acredito ser inviavél devido a nosso clima quente.

Erich disse...
4 de setembro de 2008 20:31

O grande problema é qdo o crescimento vertical vem de forma desordenada e sem planejamento

Fernanda disse...
4 de setembro de 2008 21:02

Falou e disse, e o título é muito próprio. Não são apenas esses meninos, os "sem-área", que guerreiam entre si; os "com-área" também, e o clima de hostilidade geral já se vê pelo próprio comentário do aluno. Crianças estão crescendo hostis a outras realidades, e, no microcosmo, a outras pessoas. O tempo todo ouvimos comentários assim...

Sucesso no blog e um convite para uma visitinha ao Ultramuito: http://ultramuito.blogspot.com/

Aparece lá!

Paulo Roberto disse...
5 de setembro de 2008 17:22

Faz tempo que não leio um post tão interessante e inteligente como esse aqui.
Show de Bola.
So tu mesmo ED.
Abraço!

Márcio Ribeiro disse...
5 de setembro de 2008 23:27

A verticalização é uma realidade mundial, devido também pelo aumento no preço dos terrenos. Por outro lado, a falta de uma maior infra-estrutura gera diversos acidentes, como em áreas periféricas onde grande parte das casas não tem estrutura adequada para mais andares.

Excelente post!

http://comideiaseideais.blogspot.com



CONCURSO PARA BLOGUEIROS "GANHE UMA COLUNA", além da coluna você ganha 5.000 vizualizações de seu blog + 1 banner 120x60 em sua coluna. Acesse:
www.portodosul.com.br

abutre236 disse...
7 de setembro de 2008 14:04

Eu nasci e sou criado em uma "comunidade" aqui no Rio de Janeiro. 10 anos atrás essa comunidade era relativamente pequena. Hoje em dia ela cresceu muito, principalmente na vertical. Mas esse é um fenômeno de todas as comunidades aqui no Rio. A Rocinha é impressionante o número de prédios.

Quanto a guerra dos meninos. É bom lembrar da pipa/arraia. É uma brincadeira muito popular aqui nos morros cariocas e que precisa de pouco espaço.

7 de setembro de 2008 14:26

Curti o texto viu....
o crecimento vertical, hoje so aumenta

Marcelo disse...
7 de setembro de 2008 15:34

Você vê bem esta verticalização em cidades como são Paulo e Rio. Os centros são verticais e a cidade vai ganhando horizontalidade na medida em que se afasta.. arranha-céu em periferia.. nem pensar... faz sentido.
Nunca havia pensado nessa característica..

greatdj disse...
7 de setembro de 2008 17:26

No incío do processo de verticalização se achava um luxo, por causa dos apartamentos, agora é necessidade mesmo.

Acho melhor ocorrer a verticalização, pois quando ela vem, tem que ser de forma organizadaa e planejada para não ocorrer desabamentos.

An@Lu disse...
7 de setembro de 2008 19:01

dá para entender a observaçaõ do menino. principalmente aqui em lisboa, onde vemos pessoas desempregadas recusando alguns trabalhos porque são coisa de gente "sem nível". onde já se viu uma coisa dessas??