DONA SANTA,RAINHA NEGRA

Quando eu era garoto, não lembro bem em que ano (faz tempo!), sei que foi na década de 70, fui com minha mãe à casa de "Seu Lula", um lendário pai de santo do bairro da mangueira (Recife), falecido no final da década de 90. Ostentava nessa época o título de "pai de santo mais antigo em atividade no Brasil". Bom, voltando à minha história, quando chegamos à casa dele (ele era muito ligado à minha família) eu me deparei com um quadro imenso que se destacava na sala (foto acima). Ele mostrava a imagem de uma negra majestosa , coroada e com um cetro na mão. Perguntei à minha mãe: "quem é essa?" - Ela respondeu: "é uma rainha!". Era a foto de Dona Santa, rainha do maracatu Elefante. Virou lenda por ter sido a última a ser coroada segundo as tradições dos Reis do Congo. Durante muito tempo pensei que ela fosse uma rainha como Elizabeth II (Inglaterra). Entretanto, um detalhe intrigava a minha cabeça (doutrinada por estereótipos racistas): não existem rainhas negras. Descobri depois de muitos carnavais a importância dessa mulher. Dona Santa nasceu Maria Júlia do Nascimento, no dia 25 de Março de 1877, no Pátio de Santa Cruz (local sagrado, lá também nasceu o Santa Cruz Futebol Clube), centro do Recife. Seu primeiro reinado foi no Maracatu Leão Coroado. Ela abdicaria do trono mais tarde, quando o seu marido fosse escolhido para ser rei do Maracatu Elefante (fundado, acreditem, em 1880!). Dona Santa herdaria mais tarde, em 1947, o trono de rainha desse maracatu, com a morte do seu marido. Mulher de fibra, teve que lutar contra a ditadura Vargas e o governo Agamenom Magalhães que persseguiam e proibiam os cultos afros.Usava os ensaios do maracatu para realizar os cultos do candomblé. Ela reinou absoluta por vários carnavais, foi tema de vários trabalhos acadêmicos no Brasil, na Europa e nos Estados Unidos. Faleceu em 1962, aos 85 anos, deixando um legado histórico riquíssimo.

Comments

7 Responses to “DONA SANTA,RAINHA NEGRA”

Abel disse...
10 de fevereiro de 2008 21:41

Legal as dicas de música e o resgate da nosso historia nelas né?

Abçs,
Abel

Lucas FCBA disse...
21 de setembro de 2008 20:38

E viva o canduble e todas as religiões mais principalmente as religiões da Africa q são as mais descriminadas

http://criticasloucas.blogspot.com/

Márcio Ribeiro disse...
21 de setembro de 2008 20:45

É a riqueza de nossa cultura, com toda a sua pluralidade de raças, credos e cores.

Pena que o fanatismo e a intolerância religiosa insistam que as culturas afro-descendentes não devem ter seu devido lugar em nossa cultura.

http://comideiaseideais.blogspot.com

vandre disse...
22 de setembro de 2008 14:53

O que de fato importa para nos fazer felizes é a diversidade do nosso povo, e é com isto que crescemos,respeitando a tudo e a todos, e a riqueza de nossa cultura, é uma pena que nem todo mundo veja dessa forma. Que saudade das festas dos santos Cosme e Damião que acontecia lá em seu Lula.KKKKKKKKK, era muito bom. Valeu pelo post.

ED CAVALCANTE disse...
22 de setembro de 2008 17:06

Das festas de Cosme e Damião eu me lembro bem, rapaz, era uma faaaaaaaaaaaaaaaaaarra! doces, balas, frutas, gentepra todo lado! Bons tempos!

palavraacida disse...
25 de setembro de 2008 22:22

Não sei se recebeu meu email de agradecimento pelo seu comentário recente no Palavra Ácida por isso nada melhor do que retribuir o seu comentário... Cara valeu pela visita mesmo. E parabéns pelo seu blog.

Beta Chaves disse...
30 de setembro de 2008 13:38

Muito legal..adorei tudo...