REENCONTRANDO VELHOS ÍDOLOS

Estive ontem no Chevrolet Hall, em Olinda, para rever, após vinte anos, os Titãs e ver , pela primeira vez, os Paralamas. Que noite legal! A única mácula foi o costumeiro atraso, para o início do espetáculo, marca registrada do Chevrolet Hall.

A noite começou com uma bela surpresa, a ótima banda pernambucana “Nós 4”. Eles foram um pouco prejudicados porque tiveram que "encher linguiça" enquanto as estrelas da noite não chegavam e o público se irritou um pouco com a demora. Mas o show deles foi muitíssimo competente. Quem quiser pode conferir aqui o som da banda.

Depois de três longas horas de atraso, Paralamas e Titãs subiram ao palco em alto estilo. Que vigor! Na cozinha, a competência de João Barone e Charles Gavin. Na linha de frente Toni Belotto e Herbert Viana, dois guitarristas de primeiro time do rock Brasil. A performance do Herbert, claro, foi um pouco prejudicada pelo fato de estar ele, agora, sentado numa cadeira de rodas. Tem que parar o solo para acionar (com a mão) a pedaleira. Mas o cara sabe muito, toca com tranquilidade. O bom de ver Titãs e Paralamas juntos, é que um cobre as deficiências do outro. Herbert, que tem uma voz limitada, teve o auxilio luxuoso de Paulo Miklos , Branco Melo e do Brito.Os Titãs usufruiram do competente baixo do Felipe Bi Ribeiro.

Num tempo em que o rock Brasil pena com bandas indies, emos, todas cópias pioradas do Green Day, ver Paralamas e Titãs com tanto vigor foi para lavar a alma desse velho roqueiro que vos escreve. Salve o Rock Brasil!

Foto desse post: Os Templários Emanuel Dornelas, eu e Carlos Dornelas. Todos vestidos a rigor.

Comments

5 Responses to “REENCONTRANDO VELHOS ÍDOLOS”

Rubens Rodrigues disse...
17 de março de 2009 09:35

Eles vieram aki sexta passada, eu ia mas num deu =/
Dia 30 ou 31 tem Iron Maiden aí neh?

Bete Meira disse...
17 de março de 2009 11:14

Gosto dos 2 grupos mas Herbert é meu xodó,desde o tempo dos óculos. Hoje é um pássaro preso a uma cadeira,mas continua voando nos palcos da vida.Pode ter voz limitada,mas, se a memória não me trai,os outros não são tão melhores. Não citaria um que tivesse uma voz potente pra valer,mas o conjunto agrada,o vocal do grupo,a simpatia geral e o repertório,formam agradável melodia. Quanto ao atraso dos shows,infelizmente é praxe,coisas do Brasil. Isso é grande falta de respeito e consideração ao público,mas enquanto as pessoas aceitam tudo passivamente (balbúrdia enquanto espera não resolve)continua tudo como dantes no quartel de Abrantes. Tenho dito.

ED CAVALCANTE disse...
17 de março de 2009 22:25

É no dia 31,o Iron. O show vai do lado da minha casaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa! Já comprei o ingresso, pense na ansiedade.

Bete, sei porque Herbert é o seu xodó. Você pensa que a música óculos foi escrita para você!

Bete Meira disse...
17 de março de 2009 23:34

Não vou me dar ao desfrute de bater boca com você,Edvaldo Cavalcante! Entendo que sua gracinha, sem graça, deve-se ao fato de não ter argumentos para rebater meu pertinente comentário,capice??
PS. Minha vingança é que em breve você me fará companhia "oculística",kkkkkkk,que venha o pince-nez!

Vandré disse...
24 de março de 2009 11:41

Vi as fotos ficaram boas, pena que eu não fui adoro os caras. Fica pra proxima. Valeu!!!