AMOR E DEVOÇÃO










Não permita que ninguém te devote a alma, lute contra isso
A devoção disfarçada de amor tem efeitos colaterais terríveis
Estarás acorrentado para sempre a esse sentimento
A devoção enlouquece a alma de que a sente
A devoção transita com facilidade entre a ira e a bondade
Não tem limites, não cessa com a dor do outro
Só a sua dor importa, só o seu sofrimento é nobre
A pureza do amor não cabe na devoção
Quem ama e não é correspondido sofre mas não se permite magoar
Não é o amor mais forte que tudo?
Então não sobra espaço para mágoas num coração apaixonado
A devoção só se justifica em um plano etéreo
Pois os santos têm obrigação de correspondê-la
Eles “existem” para isso.
Portanto não ame os santos, seja devoto.
O amor puro não garantirá retorno algum
Sendo devoto você terá o direito de obrigar o outro a te corresponder.

Ed Cavalcante

Comments

One response to “AMOR E DEVOÇÃO”

Bete Meira disse...
4 de outubro de 2010 11:28

Caro Ed, nunca ouvi falar em devoção disfarçada de amor. Será quem alguém tem o poder de julgar o sentimento do outro? Na vida as coisas não são o que parecem, as pessoas não são o que parecem... Existem vampiros que sugam o melhor do seu próximo e o aprisionam enquanto lhes convêm, até surgir outra vítima para saciar sua sede e assim sucessivamente. Mas nada é eterno, então amores, mágoas, ódios, rancores, encantos, novidades, tudo isso um dia passa. O que fica é o que fizemos de bom para as pessoas, creio que isso jamais será esquecido por mais percalços que surjam no caminho. As feridas cicatrizam mas deixam marcas, como aquela tábua que enchemos de pregos e depois resolvemos retirá-los. Os pregos saíram mas as marcas ficaram. C'est la vie!Bjin!