RELICÁRIO VOL. 05 - OS PRIMÓRDIOS DAS SÉRIES JAPONESAS

Nacional Kid (Nashônaru Kiddo - 1960)

O encontro entre a cultura pop nipônica e o mundo ocidental tem um marco: Nacional Kid (Nashônaru Kiddo). A série foi lançada no Japão no dia 04 de agosto de 1960 e virou febre no mundo inteiro. O interessante na história desse super-herói oriental é que ele surgiu como um produto de propaganda para uma indústria de eletrodomésticos, “National Eletronics Inc” (Depois, National). Mais comercial, impossível. O fato é que o merchant deu certo e ganhou o mundo. A série chegou ao Brasil em 1964 sendo exibida, primeiramente, pela TV Record com dublagem da AIC/ São Paulo.

A partir de então, o universo japonês alternou inúmeros heróis lendários:

Ultraman (Urutoraman – 1966)

Um clássico das séries japonesas, fez tanto sucesso que gerou franquias em diversos países do mundo. A série, que foi produzida em cores, chegou ao Brasil no final da década de 60 sendo exibida pela extinta TV Tupi. Depois foi atração, de muito sucesso, nas Tvs Bandeirantes, Record e Manchete. Ultraman é uma das séries japonesas mais cultuadas de todos os tempos perdendo apenas para Nacional Kid. Na década de 80 o SBT exibiu um remake da série intitulada “Ultraman Hideki Goh” ou “O Regresso de Ultraman”. Entretanto, a emissora não deixava claro que se tratava de uma reedição e muitos faziam confusão achando se tratar do seriado original.

Ésper (Kousoku Esper - 1967)

A série narrava as aventuras do garoto Hikaru, que perdeu os pais num acidente em que o balão que ele e seus pais viajavam se chocou com uma nave alienígena. Os pais de Hikaru morreram e os et's assumiram as identidades dos mesmos. A série foi exibida com grande sucesso na década de setenta pela TV Tupi.

Vingadores do Espaço (Maguma Taishi – 1966)

Apesar de ser do final da década de 60, foi lançada no Brasil apenas em 1973, na TV Tupi, no programa do Capitão Aza. A série foi exibida, ainda, na TV Record (final da década de 70) e na extinta TV Manchete (década de 80). A produção teve 52 episódios que mostraram a saga dos Vingadores terráqueos que lutavam contra o terrível Rodak (também conhecido como Goa), um invasor alienígena que queria conquistar a Terra.

Robô Gigante (Jainto Robô – Jaianto Robo – 1967)

No Japão, a série criada por Mitsutero Yokayama, teve um relativo sucesso. Já no Brasil virou mania entre os garotos quando era exibida na extinta TV Tupi. A série narrava as aventuras do garoto Daisako (Mitsunobu Kaneko) que depois de sobreviver a um naufrágio, descobriu um robô gigante em uma ilha misteriosa no esconderijo secreto da Big Fire, organização alienígena liderada pelo Imperador Guilhotina. Acidentalmente, Daisako gravou a sua voz nos registros de comando do robô e passou a controlá-lo. Depois de escapar da ilha, o garoto foi recrutado pela Unicorn e, sob o codinome “U7”, passa a combater a Big Fire. As Actions Figure da série lançadas na década de 80 são disputadas por colecionadores do mundo inteiro. Curiosidade: o jovem astro mirim, Mitsunobu Kaneko, que interpretava o herói Daisako, morreu jovem, com apenas 41 anos, em 1997. A série Robô Gigante foi seu único trabalho de destaque.

Ultraseven (Uruturasebun – 1968)

Esse grade clássico das séries japonesas foi o maior êxito da Tsuburaya Productions. O grande diferencial dessa produção foi a temática mais adulta com roteiros mais complexos. Por esse motivo, Ultraseven conquistou um público de uma faixa etária superior a dos seus antecessores. No Brasil, entretanto, a série, que foi exibida pelas tv's Tupi, Bandeirantes e Record, foi um grande sucesso infantil. Hoje em dia é tão cultuada quanto Ultraman e Nacional Kid.

Spectreman (Supekutoruman – 1971)

O seriado nasceu no rastro do sucesso do seu antecessor, Ultrama. Ao contrário dos demais seriados japoneses, o herói Spectreman não era humano e sim um androide que lutava contra um simióide, o poderoso Gori. A produção durou apenas um ano mas foram exibidos 63 episódios com relativo sucesso. A série marcou época porque foi uma das primeiras a abordar temas relativos a excessiva densidade demográfica japonesa. O discurso de abertura da série falava claramente sobre o assunto: "Planeta: Terra. Cidade: Tóquio. Como em todas as metrópoles deste planeta, Tóquio se acha hoje em desvantagem em sua luta contra o maior inimigo do homem: a poluição. E apesar dos esforços das autoridades de todo o mundo, pode chegar um dia em que a terra, o ar e as águas venham a se tornar letais para toda e qualquer forma de vida. Quem poderá intervir? Spectreman!"

No Brasil a série foi exibida na TV Record, no final da década de 70, e no SBT, na década de 80.

Jaspion (Koyoju Tokuso Jasupion – 1985)

Jaspion reinaugurou a nipomania no Brasil, arrefecida no final da década de 70. A série alcançou um estrondoso sucesso no Japão e virou febre no por aqui. Foi reprisada até a década de 90 e hoje está entre as produções japonesas mais cultuadas no Brasil. A tradução literal do nome da séries, “O Caçador de Monstros Jaspion”, dá uma ideia da premissa dos roteiros. A série narrava a saga de um garoto, Jaspion, que foi adotado por um profeta de nome Edim que resgatou o menino depois dele ter sobrevivido a um acidente com uma nave espacial no planeta. A produção seguia a linha maniqueista bem explicitada no eixo central da trama: o Profeta Edin era seguidor da Bíblia Galáctica e preparou Jaspion para combater Satan Goss, o líder do Império dos Monstros.

Comments

2 Responses to “RELICÁRIO VOL. 05 - OS PRIMÓRDIOS DAS SÉRIES JAPONESAS”

Anônimo disse...
29 de novembro de 2011 19:58

TODOS FIZERAM PARTE DA MINHA INFANCIA É PENA QUE NÃO INTERESA MAIS ESTES FILMES,AS EMISORAS PODERIAM REVER ISSO.

Anônimo disse...
6 de janeiro de 2012 09:51

Tem um ditado que justifica meu pensamento:"Nenhum momento é eterno...exceto em nossas lembranças".Eu adorava o "Nacional Kid" Ichiro Kojima era um dos atores que fazia o professor Masao Hata.Tenho saudades até da música...lá lá lá lará,lá lará lá,National Kidô. O personagem é criação do cartunista japonês Daiji Kazumine.A série durou de 4 de agosto de 1960 a 27 de abril de 1961.Foi a primeira série japonesa filmada em preto e branco.O outro ator que fazia,o personagem me parece que era o Tatsmune Shintaro.Não eram atores profissionais...porém tinha carisma.mlmmarcoslima@gmail.com