AS TELENOVELAS "FORDISTAS"

Nos últimos meses vários nomes importantes da teledramaturgia brasileira têm soltado farpas na rede contra o atual modo de produção das telenovelas, sobretudo da Globo. Lauro César Muniz (Salvador da Pátria, Roda de Fogo, O Casarão, Escalada), 73 anos, afirmou em entrevista recente que a telenovela se “industrializou” e, por isso, perdeu em qualidade. Segundo Lauro, as novelas da Globo adotaram o sistema “fordista” de produção em série, abdicando, quase que totalmente, das tramas mais complexas.

As telenovelas atuais também são diretamente influenciadas pelos índices de audiência. Dependendo da reação do público, personagens são mortos, ressuscitam, trocam repentinamente de personalidade, tudo para agradar o grande público. Essa maleabilidade da trama, obviamente, influencia negativamente na qualidade do produto final.

Outra grande crítica refere-se a centralização quase que hegemônica das tramas no eixo Rio-São Paulo. Quem assisite as produções da Globo fora do Brasil deve imaginar que só existem duas cidade grandes no país. A Rede Globo ambientaliza, quase sempre, suas produçoes entre Rio de Janeiro e São Paulo. Quando alguma novela ou minissérie é rodada no Nordeste, só se mostra o meio rural, o sertão, quase sempre num formato bem caricato. As grandes cidades como Recife, Fortaleza, Salvador são completamente ignoradas.

As novelas de época, uma das marcas registradas da teledramaturgia da Rede Globo, foram praticamente banidas da grade por conta dos baixos índices de audiência. Clássicos como “O Casarão”, “Terrasdo Sem Fim”, “A Sucessora” e “A Moreninha” nãos teriam a menor chance na atual conjuntura. Talvez sinalizando que pretende mudar o rumo dessa história, a Rede Globo anunciou para o segundo semestre desse ano o remake de um grande sucesso da década de setenta, “O Astro”, de Janete Clair. A novidade é que a versão atual terá apenas 80 capítulos, 106 a menos do que o original.

Abaixo, relembre a cena final de um clássico da teledramaturgia brasileira, “O Casarão”.

Comments

2 Responses to “AS TELENOVELAS "FORDISTAS"”

Sidclay disse...
17 de abril de 2011 17:34

Eu nunca havia pensado no porquê da minha falta de interesse pelas novelas, eu as acho repetitivas, chatas, superficiais e, em vários momentos, tratam o espectador como um idiota...
Seu texto faz a gente pensar um pouco... curiosamente eu estou acompanhando duas novelas atualmente, Vale Tudo e Vamp, ambas pelo excelente canal a cabo, Viva

ED CAVALCANTE disse...
17 de abril de 2011 19:34

Rapaz, assisti a muitas novelas na minha vida, gosto muito de tevê, Vale Tudo é uma das melhores novelas de todos os tempos sempre lembrada por inovações na trama (teve a banana do Marco Aurélio no final) e na sonoplastia (as guitarras de Frejat pontuando as maldades de Glória Pires), inesqucível!