A IMPORTÂNCIA DE SE PRESERVAR A MEMÓRIA


Outro dia, num desses momentos de reflexão, lembrei-me dos bons tempos de escola, dos amigos (sobretudo dos que não tenho mais contato), das farras, da inconsequência, enfim, desse mundo efêmero que, invariavelmente, para todos, se perde no tempo. Dessa época feliz da minha vida, além das lembranças, restou-me uma foto clicada em 1986 que ilustra esse post.

Pois bem, o resultado dessa minha viagem ao passado foi uma ideia: institur a foto oficial da turma. Claro, essa é uma prática antiga e tradicional em muitas escolas pelo mundo afora, mas nas redes públicas de ensino aqui em Pernambuco, esse importante registro escapa. Diriam os críticos derrotistas: “Em algumas escolas, sequer, eles tem o básico, que dirá foto oficial”. Indiferente a possibilidade de ouvir comentários como esses levei a ideia adiante que foi prontamente aceita pela coordenação e pela direção da escola.

Na base do improviso, fizemos quase todas as fotos. Os alunos das séries iniciais, da Alfa até o quito ano, trataram o evento como uma grande e importante novidade. Já com os adolescentes do sexto ao nono ano, com idades entre onze e quinze anos, os problemas começaram a aparecer. Aquela velha frase, “adolescente é complicado”, não saía da minha cabeça. Explicamos a importância daquele registro, que anos depois ele teriam um privilégio que não é comum nas escolas públicas de Pernambuco, relembrar através das fotos amigos, a escola, mas não adiantou. Alguns caminharam para o local da foto como se estivessem a caminho do cadafalso.

Os alunos do nono ano, os mais velhos, colocaram tantos obstáculos que resolvemos não fazer o registro. Numa breve análise da situação, facilmente, identificamos alguns indícios do porquê desse problema. Em algumas turmas pude perceber que o grupo foi contaminado por pequenos lideres que impuseram o seu pensamento de revolta contra uma atividade que vinha da instituição propagando a ideia de que a foto era “um mico”. Outros tantos não se identificam com a escola, não têm orgulho de estudar numa escola pública e não querem, portanto, eternizar esse período. Fora isso, tem o comportamento natural do adolescente de ser eternamente do contra.

Seja como for, fiquei, mais uma vez, triste com a falta de interesse dos alunos. Esse tipo de comportamento, aliás, inibe muitos profissionais de educação a buscar inovações. Sair do cotidiano da sala de aula, trabalhar com atividades voltadas para novas tecnologias, requer uma boa dose de paciência e perseverança para superar velhos hábitos. Muitos desistem pelo caminho.

Comments

One response to “A IMPORTÂNCIA DE SE PRESERVAR A MEMÓRIA”

Valdecy Alves disse...
26 de abril de 2011 15:51

Acesse matéria que fala de importante vitória da cidadania, em defesa da preservação do patrimônio histórico e da cultura, SENTENÇA PROCEDENTE EM AÇÃO POPULAR. ACessar em: http://valdecyalves.blogspot.com/2011/04/acao-popular-julgada-procedente-materia.html