LUIZ SEVERIANO RIBEIRO E O IMPÉRIO DOS CINEMAS NO BRASIL

Quando entrei num cinema pela primeira vez – 1976, para assistir ao remake do clássico King Kong – Luiz Severiano Ribeiro já havia morrido há dois anos e seu nome era uma chancela que conferia qualidade aos cinemas pelo Brasil afora. A história desse cearense de “Baturité”, pequena cidade de pouco mais de 38 mil habitantes, também conhecida (por alguns) por ser a terra natal do Major Couto Pereira, que hoje dá nome ao estádio do Coritiba, daria um filme.

Nascido “Luiz Severiano Ribeiro Filho”, em 03 de junho de 1886, tinha como destino ser padre. Foi matriculado no Seminário Episcopal de Fortaleza com apenas dez anos. Acabou fugindo oito anos depois para estudar medicina no Rio de Janeiro. Não chegou a concluir o curso porque ficou muito abalado com a morte da sua mãe. A medicina, dizia ele, perdera a graça.

A história de vida do jovem Severiano Ribeiro lembra o roteiro de um clássico do cinema italiano, “Cinema Paradiso”. Assim como o pequeno “Totó”, Severiano se apaixonou pelo cinema acompanhando projeções. Em 1908, quando foi inaugurado a primeira sala de exibição de Fortaleza, o “Cinematographo Art-Noveau”, de propriedade de um italiano, “Victor Di Maio”, Severiano vislumbrou que ali estava o seu futuro. Alguns meses depois Victor Di Maio repassou a sala de exibição para Severiano e teve início uma história de sucesso.

Pouco tempo depois de arrendar Cinematographo Art-Noveau transformou o “Café Riche” em um cinema organizando exibições diárias com programação diversificada. O Grupo Severiano Ribeiro teve, nesses dois empreendimentos, seu embrião. Depois de inaugurar o primeiro grande cinema de Fortaleza, o “Cine Majestic”, Severiano Ribeiro resolveu romper as fronteiras do Ceará e aportou em Recife. Comprou, em 1921, o cine Moderno que, em pouco tempo, tornaria-se um dos cinemas mais tradicionais da capital pernambucana, estrategicamente localizado ao lado do tradicionalíssimo restaurante Leite.

Já com residência fixa no Rio de Janeiro, Luiz Severiano Ribeiro firmou parceria com a gigante Metro-Goldwyn Mayer e passou a dominar o ramo de administração de cinemas no Brasil. Atualmente, o Grupo Severiano Ribeiro, que a partir do ano 2000 lanou a marca “Kinoplex” utilizando tecnologia de última geração, é detentor de mais de duzentas salas de exibição em diversos estados do Brasil. O Cine Moderno, seu primeiro empreendimento no Recife, como quase todos os cinemas localizados fora dos shoppings, não existe mais.

Os cinemas perderam o charme, hoje, são apenas salas de exibição. Mesmo assim o nome “Severiano Ribeiro” domina o imaginário de quem é cinéfilo. Meus respeitos!

Comments

2 Responses to “LUIZ SEVERIANO RIBEIRO E O IMPÉRIO DOS CINEMAS NO BRASIL”

Anônimo disse...
24 de setembro de 2011 22:41

muito boa essa matéria sobre o grande e talentoso severiano ribeiro,homem que até hoje nos faz sentir o prazer de ir ao cinema.

Henry Rocha disse...
1 de setembro de 2015 01:24

Concordo plenamente.