HÁ 66 ANOS A PALAVRA GENOCÍDIO GANHAVA SEU MAIOR EXEMPLO PRÁTICO


A estupidez humana é medida por atos extremos. Tivemos um exemplo recente lá na Noruega. Sei, os estudiosos da mente humana dirão que insanidade e estupidez são estados diferentes porque o estúpido tem noção do que está fazendo. Será? Algumas pessoas se deixam levar pela estupidez de uma forma que acabam atingindo a insanidade.

Aconteceu assim em 1945.Num dia 06 de agosto, como hoje, às 08:15h, um avião B-29, batizado com o nome de “Enola Gay”, nome da mãe do piloto, lançou uma bomba atômica, carinhosamente chamada de “Little Boy”, e despejou um sopro de morte de 12 mil toneladas e meia no céu de Hiroshima. 90 mil pessoas morreram por causa desse ato insano. Três dias depois o segundo ato desse filme de horror: outra bomba foi jogada, dessa vez na cidade de Nagasaki, matando 40 mil pessoas. Estava consumado.

Os detalhes dessa triste história estão disponíveis para serem acessados na rede, não vou repetir aqui, isso pouco importa. O que interessa mesmo é não deixar que esse genocídio caia no esquecimento ou seja lembrado, apenas, nas aulas de história. A estupidez extrema cometida contra os japoneses talvez tenha começado com pequenos atos de maldade, aparentemente sem importância. Chega um momento que o agressor perde a medida  e apenas ele enxerga motivos para seu leque de maldades.. Hiroshima e Nagasaki nunca mais!

Comments

No responses to “HÁ 66 ANOS A PALAVRA GENOCÍDIO GANHAVA SEU MAIOR EXEMPLO PRÁTICO”