O TAL DO ESPÍRITO OLÍMPICO

Vi um atleta sueco devolvendo uma medalha de bronze por não concordar com os “erros” de arbitragem. O repórter indignou-se com a atitude do rapaz e disse que ele não sabia o que era o “espírito olímpico”. Discordei (do repórter) no ato. Se eu sou um atleta e vejo que fui roubado, que um “algo mais” foi usado como critério, por que não posso me indignar e protestar? Muitas das “verdades” impostas pela mídia descem goela abaixo sem que as pessoas questionem. Todo mundo sempre aceitou as chatices e os chiliques de Bernardinho como um comportamento normal, só porque a seleção de vôlei é vencedora. Na primeira derrota, a blindagem do técnico começou a dar sinais de fraqueza. As verdades da mídia são assim, dependem das conjunturas. Um país gigantesco como o Brasil celebrar uma medalha de bronze como algo fenomenal, pra mim, é incompreensível. Ver um atleta vibrar porque conseguiu chegar a uma final olímpica mesmo terminando em último está além da minha compreensão. Se isso tem a ver com o tal “espírito olímpico”, acho que vou morrer sem absorvê-lo. Eu, pobre mortal, jogaria sim uma medalha fora se me sentisse roubado. Brigaria com um técnico chato, rabugento se ele me agredisse. Não comemoraria a última colocação. Sei bem, os críticos dessas minhas breves palavras dirão que o importante é a competição. Mas essas mesmas pessoas xingam o time do coração quando ele joga bem e perde. O espírito olímpico só se aplica aos outros.
ADENDO: resolvi publicar essa foto, porque tem gente duvidando que fui atleta, que entendo do riscado. A foto abaixo foi tirada nos jogos militares do longínquo ano de 1984. Prata no salto em distância. Direto do túnel do tempo.CLIQUE NA FOTO PARA AMPLIAR

Comments

20 Responses to “O TAL DO ESPÍRITO OLÍMPICO”

15 de agosto de 2008 15:42

Eu concordo com você em tudo o que você observou. Engraçado que há mt tempo n acompanho olimpíadas, mas minha insonia tem me feito apelar p ver alguns momentos e tenho percebido o fiasco de transmissão e comentários que está sendo! Um absurdo!! Continuem se conformando com pouco e pouco serão: é assim q a Globo está ensinando!¬¬

DuDu Magalhães disse...
15 de agosto de 2008 17:08

afff...

Manipulação!
Estas olimpíadas tem sido assim...

uma figuração bem encenada...

mas um dia à casa cai!

Antonoly disse...
15 de agosto de 2008 17:20

Desde criança que eu ouço que "o importante é competir" sempre fiquei puto com as péssimas colocações do Brasil em Olimpíadas e continuo pensando dessa maneira.

www.blowgh.wordpress.com

Net Esportes disse...
15 de agosto de 2008 19:09

uma coisa é o Ali jogar fora a medalha dele em protesto a discriminação racial...... outra coisa é o cara jogar fora uma medalha que muitos ali jamais vão conseguir conquistar, se ele tem razão ele pode ficar sim indgnado e não querer o bronze, mas não precisa se livrar dele de frente para as cameras....... entender o espirito olímpico requer no mínimo um gosto pelo esporte, não só na época das olimpiadas, não só por um ou outro esporte, ninguém é obrigado a gostar de esporte, mas quem gosta e sabe o que realmente representa um evento olímpico sabe muito bem o que é festejar só o fato de estar lá competindo.... mesmo que chegue em último lugar.

um abraço

15 de agosto de 2008 19:28

Eu tenho pavor dessas comemorações pelos últimos lugares, por "ser vencedor apenas por estar participando".

Só compreendo a festa pelos maus resultados por um viés mercadológico, ou seja, é muito dinheiro envolvido pelos patrocinadores e a imprensa não pode deixar a audiência cair, então superestima atletas e supervaloriza resultados medíocres.

Alguns acreditam.

abs

www.euforiamelancolica.blogspot.com

15 de agosto de 2008 21:41

concordo plenamente!!

as transmissoes deixam a desejar, e eh tudo um show de opinião tosca, sem fundamento, q induz a outras opiniões ateh piores...

isso sem falar q a própria olimpíada tem sido um grande teatro...
perfeitamente representado...


http://meus-sonhos-vazios.blogspot.com/

- Lemon; disse...
16 de agosto de 2008 10:55

persebe-se que vcê nunca participou de uma competição esportiva, não é? Pois eu sim e eu sei o que é perder em último lugar da final. Você chegou até lá, e se não ficar feliz com isso, ninguém o fará para você. Isso é o espírito olímpico.

junquera r. disse...
16 de agosto de 2008 11:09

Olá...
Eu tbm devolveria a medalha se me sentisse roubada, entretanto discordo de vc em relação a outras observações... O brasil está evoluindo em algumas modalidades, o último lugar em ginástica olímpica por equipes é sim algo a se comemorar, pois é a primeira vex que o brasil consegue competir nessa modalidade... é o caminho se abrindo para que nas próximas consigamos melhores colocações e comemoremos, talvez uma medalha. Os tecnicos são assim rabujentos mesmo... todos eles... se vc fosse atleta, vc saberia... os atltas não dão muita importância aos berros e xingamentos não, eles relevam, compreendem o estresse do momento... O que te faltta pra compreender isso, meu caro, não é espírito olímpico, mas sim espírito esportivo.. hehe.. se vc praticasse algum profissionalmente e tivesse um treinador mala, vc saberia!

Anônimo disse...
16 de agosto de 2008 11:21

Enquanto isso o Brasil se F... ê governo sem futuro não apia nem seus atletas.

RUBENS CORREIA
www.blogdorubinho.cjb.net

raquel disse...
16 de agosto de 2008 11:30

Concordo contigo em gênero, número, e só não concordo em grau porque ele não flexiona. A incoerência de opiniões é muito grande, e a hipocrisia maior ainda. Tudo tem de ficar "bonitinho" na mídia, o atleta que reclama está "manchando" o espetáculo... e nem pergunte quais são os interesses e vaidades encobertas por esse e outros espetáculos...

E assim caminha a humanindade...

PS.Gostei do seu comentário lá no meu pqno espaço.

Abs
Raquel
http://devaneioseloucuras-raquel.blogspot.com/

ED CAVALCANTE disse...
16 de agosto de 2008 11:40

BOM, DEPOIS QUE O AMIGO LEMON QUESTIONOU SE EU HAVIA PARTICIPADO DE ALGUMA COMPETIÇÃO ESPORTIVA, PUBLIQUEI UM ADENDO NO POST COM UMA FOTO MINHA NO PÓDIUM DOS JOGOS MILITARES. MATANDO A COBRA E MOSTRANDO O PAU!

- Lemon; disse...
16 de agosto de 2008 12:54

Ah, tudo bem, tudo bem. Então como atleta, você deve se mostar um bom perdedor, de acordo? ou você ficava emburrado e chorava quando chegava ao quase e não ganhava? até porque ninguém tem muito ânimo para treinar depois que perde - e teria menos ainda se não soubesse erguer a cabeça e admitir para si mesmo que deo o seu máximo e que está de parabéns com isso.

ED CAVALCANTE disse...
16 de agosto de 2008 14:39

RESPONDENDO AO AMIGO DO NET ESPORTE(ÓTIMO BLOG SOBRE ESPORTES). SEI PERFEITAMENTE A DIMENSÃO DE UMA OLIMPÍADA, A IMPORTÂNCIA DE SE DISPUTAR OS JOGOS. AGORA, MEU NOBRE, UM PAÍS COMO O BRASIL DE DIMENSÕES CONTINENTAIS, NÃO PODE SE COMPORTAR COMO COADJUVANTE. TEMOS SIM QUE NOS INDIGNAR. É ABSOLUTAMENTE RIDÍCULO SE CONTENTAR COM TÃO POUCO. TALVEZ SEJA POR ISSO QUE AS COISAS NÃO MUDAM. NÃO SE ENGANE, POR TRÁS DA SUPERVALORIZAÇÃO DESSE DESMPENHO PÍFIO QUE O BRASIL VEM APRESENTANDO, EXISTE A QUESTÃO ECONÔMICA (COMO RESSALTOU O MARCELO). VEJA O CASO DO CESAR CIELO: ERA O MELHOR MAS PARECIA NÃO ACREDITAR. DISSE QUE SONHOU COM O PÓDIUM EM SEGUIDA PENSOU "NÃO, EU TÔ VIAJANDO". O CARA NADOU MUUUUUUUUUUUUITO E ESTAVA COM ESPÍRITO DE TERCEIRO MUNDO. SÓ PERCEBEU QUE ERA POSSÍVEL GANHAR NOS 25 METROS FINAIS. NÃO ENTENDO ISSO, CARA!

Net Esportes disse...
16 de agosto de 2008 15:32

Questões políticas que envolvem dinheiro e certas ambições e interesses de muitos não tem haver com a questão do espírito olímpico, ou se esta certo ou não comemorar só o fato de estar em uma Olimpiada e festejar um último lugar que seja, depende de cada situação e depende de cada atleta, o Brasil podia ir muito além de fato mas isso não tira o brilho de alguns atletas que se esforçam extremamente visto inúmeras dificuldades, seja pela má vontade de governantes ou de vários plíticos corruptos.

O César Cielo tinha como objetivo os 50m livres, e estava com o pior tempos dos finalistas nos 100m, por isso ele disse que "Sonhou com medalha" e depois falou "to viajando" é um discurso de gente modesta e humilde e não porque ele é do terceiro mundo, depois que ganhou o bronze veio a confiança para o ouro nos 50m. Ele não pensa com espirito de terceiro mundo mesmo porque ele treina nos EUA há 3 anos.

Um exemplo de alguém que não tem nada pra comemorar é o Tiago Camilo, bronze no judô, pois ele era extremamente favorito ao ouro, como o futebol masculino por exemplo, aí sim houve um exagero da mídia........

Ps.: valeu o elogio, o seu outro blog sobre séries é fantástico, adoro várias séries que vi lá como 24 horas e Heroes !!!!! T+

Raela Migliesi disse...
16 de agosto de 2008 15:59

Acredito sim no espírito olímpico, mas acho que há limites. Não devemos aceitar injustiças, nem devemos deixar empurrarem pela nossa goela abaixo todas esses mentiras da mídia.
O Brsil pode e deve fazer muuiiiiito mais , mas nem assim eu desmereço os atletas que conquistam as nossas pouquíssimas medalhas.
Um dia, quando nesse país existirem políticos realmente patriotas, chegaremos lá!

Bete Meira disse...
16 de agosto de 2008 17:51

Gente,o Brasil ainda é um país livre,temos liberdade de expressão!Não entendo pq não podemos conviver pacificamente cada um respeitando o direito do outro de pensar e se expressar livremente.Podemos pensar de modo diverso,sem ser adversários ou inimigos,sem partir para alfinetadas,indiretas,sarcasmo. De tudo que foi falado,todos têm suas razões,muita coisa depende do referencial. Também escuto,desde cedo,que o importante não é ganhar,mas competir!Mas quem não gosta de ganhar?E quem gosta de perder?Acontece que para competir é preciso se preparar para saber ganhar e perder.Parabéns,Ed,mais uma vez!Ótimo post. Repetindo o que disse em outro comentário: "Não concordo com uma palavra sequer do que dizeis, mas defenderei até a morte o vosso direito de dizê-las."
(Voltaire)

blog disse...
16 de agosto de 2008 21:37

Já postei sobre o assunto e concordo com vc.
Mas isso - contentar-se com uma medalha de bronze, e comemorar como se o céu se abrisse - é reflexo da mediocridade do brasileiro aliada ao fato de a imprensa burguesa prcisar vender o evento.

Por isso gosto (e sou criticado) de assistir ao basquete norte-americano, ao boxe cubano e à ginástica européia.
Lamento ter a mesma nacionalidade de um Galvão Bueno, por exemplo.

Luca Souza disse...
17 de agosto de 2008 12:58

Concordo contigo totalmente, essa história de que o que vale é competir e não ganhar é muita hipocrisia ou falta de garra. Tb não comemoria o ultimo lugar, como a grande maioria dos atletas brasileitos estao fazendo naquele circo de pequim. eles acreditam mesmo que já são vencedores apenas por estarem lá. mas eu fico me perguntando, vencedores de que? como alguem pode se contentar com tão pouco? e como é que os brasileiros aqui podem assistir e aplaudir em suas casas?
Mais uma vez parabéns pelo post.


http://www.baufragmentado.blogspot.com/

Edu França disse...
17 de agosto de 2008 17:50

Olha vc foi militar, eu tbm... fiz o C em Casa forte, essa foto é na ponte da amizade que liga a favela Ayrton Senna com o Monteiro em casa forte, é um choque, de um lado uma favela histórica, tem mais de 40 amos, era chamada favela do sobrado velho, perto do casarão do barbalho, depois virou Ayrton Senna... e sempre foi assim, um cantinho esquecido no tempo e no espaço....

Jonatas Fróes disse...
21 de agosto de 2008 00:52

Concordo plenamente contigo. Uma coisa é ter espírito esportivo, outra é deixar uma injustiça passar em branco. Se fosse assim precisariamos ter espírito político, espírito econômico, espírito trabalhista, espírito acadêmico, espírito do transporte público..........

Fácil deixar as injustiças passarem e fingir que não aconteceu nada. Difícil e dar a cara para bater e reivindicar nossos direitos.

[]'s

http://musica-holic.blogspot.com/