POR QUE EU AINDA SOU PROFESSOR?

Nos últimos meses uma questão vem me tirando o sono: por que eu ainda sou professor? Esse dilema nada tem a ver com a questão salarial. O problema todo está na sala de aula. O quadro é absolutamente desolador. Os alunos não encaram mais a escola como algo importante. A sala de aula se transformou numa arena de guerra. Constantemente o professor é interrompido por piadas, brincadeiras de mau gosto, todo tipo de insultos. O aluno sente-se no direito de desrespeitar todo mundo, inclusive os poucos colegas que querem estudar. A escola está se transformando num imenso parque de diversões. Os teóricos questionam os métodos de ensino e a falta de estrutura das escolas. Essa visão unilateral premia a delinqüência e a desorganização. Cobrar do aluno responsabilidade e respeito parece não ser mais importante. Ninguém, afinal, quer ser rotulado de “tradicionalista”. O tempo vai passar e esses “alunos” que não compreendem a importância da escola, vão ficar pelo caminho. Pior, talvez sejam vencidos pela vida. Fora dos muros da escola, o comportamento moleque da sala de aula é visto como delinqüência. O patrão não vai ter a paciência que o professor tem. O professor põe pra fora da sala, a polícia põe pra dentro da cela. Na vida real o garoto que picha as paredes e que quebra as bancas, vai ser tratado como marginal. Repito, a vida é duríssima, não tolera a falta de seriedade. Você quer saber por que eu ainda sou professor? Bom, acho que é porque eu fui um aluno peralta que descobriu a tempo o valor da escola. A esperança de que meus alunos também descubram me faz insistir nesse duro ofício. REEDIÇÃO

Comments

12 Responses to “POR QUE EU AINDA SOU PROFESSOR?”

Everaldo Ygor disse...
8 de agosto de 2008 16:48

Olá...
Um desafio todos os dias é o que é... Alunos desrespeitando tudo e todos, e não percebem que ao fazer isso, estão enganando a si próprios...
Me faço essa pergunta também por aqui, nos dias...
E na resitência vamos ficando, resistindo ao descaso e ausência do Estado...
Abraços
Everaldo Ygor
http://miniminimos.blogspot.com/
"Tempo"

Euzer Lopes disse...
8 de agosto de 2008 16:59

Sinceramente, meu caro, eu considero você, e qualquer outro professor, um herói.
Herói porque há toda uma estrutura errada acima de sua cabeça, mas é sobre você que cai toda a pressão: a que vem de cima (sistema) e a que vem de baixo (alunos).
Exigem de você austeridade, mas dão a eles um tal de "estatuto da criança e do adolescente" que não o permite ser austero quando necessário.
E essa pseudo liberdade vira um passaporte para atos de selvageria infanto-juvenil que beira a insanidade.
É fácil para uns "planejadores" ficarem em salas fechadas, com ar condicionado, em alguma secretaria de educação, pensando em coisas como metas e afins, quando estão longe da realidade do que acontece numa sala de aula.
E enquanto isso, o Brasil vai mostrando sua cara.

Thiago disse...
8 de agosto de 2008 19:34

nao sei aonde vc ensina...mas acredito q ainda vale a pena ser professor, ainda existem muitos bons alunos por ai...e o mais importante eles sao interessados...nao existe nada melhor do ver um aluno esforçado passar num vestibular por exemplo..

Fernando disse...
8 de agosto de 2008 19:55

Você tem razão, os alunos hoje em dia não tem respeito algum pelos professores ou pelos proprios colegas... não é justo da parte deles

Alê disse...
8 de agosto de 2008 20:28

Olha...é uma árdua tarefa a sua, eu imagino, mas é muito recompensador, apesar dos grandes problemas sociais e econêmicos que temos...
parabéns pelo Blog...

http://blogdale.wordpress.com

Alê disse...
9 de agosto de 2008 00:30

Excelente seu desabafo. É lamentável a situação submetida aos professores, logo eles que apoiam os futuros seres humanos. Aqui no Brasil que a situação é assim tão precária, em países como JAPÃO e ALEMANHA, a profissão é valorizada muito mais do que muitas outras. O que não devia ser diferente em qualquer lugar do MUNDO !

Visite meu blog também
www.muitosobrealgo.blogspot.com

Gonzo Laranja disse...
9 de agosto de 2008 01:00

é camarada, hoje em dia os alunos nada pensam sobre o futuro, querem apenas "curtir" o momento daquela fervorosa "juventude" E FAZER NADA.
CULPA DE QUEM? da sociedade? da escola? do professor com baixa remuneração? do governo?
a culpa é de tudo... falta de incentivo vem de família, da sociedade... do governo...

ah, são "futuros" eleitores...

um abraço


www.gonzolaranja.blogspot.com

Marcelo disse...
10 de agosto de 2008 09:57

Entendo seu desabafo. Estou no magistério há 15 anos, mas optei por não lecinar em ensino básico. Segui especialização, mestrado, doutorado e hoje só trabalho em curso superior. Mas acompanho em que pé as coisas andam porque trabalho com capacitação de proifssionais de Língua Portuguesa. Não vi nos últimos anos nenhuma mudança no ensino que pudesse gerar uma melhora. Vejo sim, uma legislação que coloca cada vez mais o aluno como um coitadinho que deve ser recuperado. E se isso não ocorre a culpa é da escola. Tirando raras exceções, vejo o discurso pedagógico com um profundo desprezo dada sua vacuidade e falta de embasamento. Isso cansa... criam uma escola que tem recuperação 1, 2, 3, 4, 5, 6... passa o cara de uma vez, porra! Esquecem que a vida (é como você colocou no texto) não dá segunda época é é muito mais cruel com o indivíduo do que os professores na escola...
Por essas e outras que sai fora do ensino básico..

Jonatas Fróes disse...
10 de agosto de 2008 23:21

Realmente deve ser um desafio. A mulecada só quer baixar música, pegar mina, tomar porre aos 13 e jogar video game... O que falta é educação dentro de casa, a culpa não é da escola...

Mas sinceramente acho que você deveria tentar graduações hehehe xD

[]'s

http://musica-holic.blogspot.com/

DuDu Magalhães disse...
12 de agosto de 2008 01:06

Vencedor!

Como defino os professores!


O sistema está uma merda, mas vcs não desistem...

E ainda sonho em ser professor...

marilene ferreira disse...
14 de fevereiro de 2012 21:26

sou sua aluna,e o adimiro muito,gosto do seu modo de ensinar.acredite que tem muitos alunos,que o admiram muito.siga em frente.marilene ferreira.

ED CAVALCANTE disse...
15 de fevereiro de 2012 13:54

Marilene, querida, obrigado. Também gosto bastante de você com sua voz "braba". kkkkkkkkkkkk