O APITO DO ELMO E A SURDEZ DE CLEBER E MARCÍLIA

Gosto muito de futebol, mas ando meio sem ter o que ver já que o meu time, o Santa Cruz, foi enterrado na quarta divisão. Isso mesmo, quarta divisão, o ponto mais próximo do inferno que um time pode chegar. Mas, viciado que sou, fui ver Palmeiras e Sport na última quarta-feira. Na partida anterior, o Verdão havia jogado contra o São Paulo e reclamou da arbitragem. Muricy até invadiu o campo para tomar satisfações com o árbitro. No jogo com o Sport, o Palmeiras começou levando dois gols e iniciou-se o drama.

Durante quase toda a partida, heroicamente, o quase rebaixado Sport comportou-se como um time de primeira divisão. Sem a pressão do rebaixamento – já que o fato era dado como quase certo – o time jogou leve e merecia, inclusive, a vitória. Mas, como vem acontecendo nesse campeonato, o árbitro resolveu aparecer. O senhor Elmo Cunha apitou (equivocadamente) o impedimento do zagueiro Danilo, que marcou o segundo gol do Palmeiras. As câmeras mostraram que o jogador estava em posição legal, mas, com o apito, os jogadores do Sport pararam. Inexplicavelmente, o juiz fingiu-se de morto e validou o gol.

Esse estúpido "erro" foi detectado por TODOS que assistiam a transmissão da Rede Globo. Deu para ouvir claramente o apito do senhor Elmo. Para minha surpresa, o narrador Cleber Machado – que eu reputo como um dos melhores da tevê – e o comentarista de arbitragem Renato Marcília, amarelaram. Fingiram que não ouviram o que todo mundo ouviu. Lembrei-me, na hora, do humorista Chico Anísio. Na década de 90 ele comentava jogos nas transmissões da Globo. Terminou desistindo do ofício. Quando perguntaram o porquê da desistência, ele explicou: “É impossível ser honesto e comentar com imparcialidade se os comentaristas da Globo usam um ponto eletrônico no ouvido e ficam recebendo ordens durante a transmissão”. Será que Cleber e Marcília receberam uma ordem para se fingirem de surdos? Nunca saberemos, mas isso pouco importa, a arbitragem tendenciosa ficou clara. Dessa vez, o técnico Muricy Ramalho não invadiu o campo para reclamar.

O Sport Recife entrou com um processo no STJD pedindo a anulação da partida. Claro que isso não vai acontecer. Se fizesse parte do quadro de árbitros da FIFA, assim como Carlos Eugênio Simon, o senhor Elmo Cunha ganharia um prêmio: seria incluído na lista de árbitros pré-selecionados para a Copa do Mundo. É o futebol brasileiro. "Erros" de arbitragem continuarão acontecendo e narradores e comentaristas continuarão fingindo-se de surdos e cegos.

Comments

No responses to “O APITO DO ELMO E A SURDEZ DE CLEBER E MARCÍLIA”