A IMPORTÂNCIA DAS ESCOLHAS

Cresci num bairro pobre do Recife. Para se ter ideia do que isso significa, por muitas vezes a capital pernambucana figurou na lista das cidades mais hostis para um jovem viver. Chegou a ser a quarta pior do mundo, na década de 90. Recife é uma cidade dificílima de se viver para quem mora em um bairro pobre. Por várias vezes retrocedi mentalmente buscando respostas para entender o porquê de eu ter vencido e sobrevivido a tudo isso. Acabei sempre chegando à questão das escolhas. Parece simples, mas uma escolha errada pode determinar o fracasso de quem vive sem direito a uma segunda chance.

Percebo agora que, instintivamente, quase sempre fiz as escolhas certas: escolhi os amigos certos: falávamos de cinema, televisão e música, muita música. Enquanto outros tantos se perdiam na violência da vida, eu e meus poucos amigos de infância nos preocupávamos em descobrir o porquê do Lennon ter escrito “essa” e o Paul “aquela”, as mensagens nas entrelinhas dos textos do Renato Russo. Chegamos a passar um dia inteiro tentando decifrar os detalhes de uma capa de disco enquanto o mundo explodia lá fora. Não, isso não era alienação, era esperteza. O nosso mundo era bom porque nós o fizemos assim. Só para que fique registrado, meus amigos ainda são os mesmos.

Tive poucas oportunidades na vida mas aproveitei (muito bem) todas. Fui aluno de escola pública no momento em que ela começou a declinar, perder o brilho. Muitos desistiram, optaram pelo subemprego, um biombo que esconde um monstro devorador de vidas. Eu escolhi ficar. Obviamente, por ser jovem e inexperiente, temia pelo meu futuro, tive momentos de dificuldades, chorei várias vezes, mas não arredei o pé da escola. Cumpri essa etapa da vida, heroicamente, porque eu escolhi ficar!

Como ninguém é perfeito, houve um momento em que escolhi errado. Conclui o Segundo Grau (Ensino Médio) e como naquela época (1986) pensava que a universidade era um sonho utópico, decidi não tentar. Essa escolha errada me custou quase uma década de desacertos e desencontros. Mas, como não costuma acontecer com os jovens dos bairros pobres, foi-me dada a chance de escolher de novo. Consegui um bom emprego numa multinacional do ramo automobilístico e, como a maioria, poderia ter-me acomodado com aquela benesse temporária. Escolhi tentar a faculdade para transformar a benesse temporária em perene. Estudei, passei no vestibular, me formei, fiz mais amigos, passei em três concursos públicos, fiz duas pós-graduações e continuo alimentando sonhos. Tudo porque escolhi certo.

Abaixo, um dos hinos da minha juventude. Devo muito a essa música:

Comments

3 Responses to “A IMPORTÂNCIA DAS ESCOLHAS”

Bete Meira disse...
3 de dezembro de 2009 20:11

Parabéns pelas escolhas certas!Não lamente as erradas.Continue com essa disposição pra lutar e vencer,muitas conquistas e vitórias certamente ainda chegarão a você.Mas nunca deixe de escolher,sempre que precisar.E lembre que não escolher,já é uma escolha. Bjin!

Anônimo disse...
22 de dezembro de 2009 02:32

hurricanes address bombastic stocks keighley srivastava factories hamlet restaurant latency hkstuk
semelokertes marchimundui

Anônimo disse...
22 de fevereiro de 2013 12:07

Tenho Orgulho de ser Sobrinho dessa Grande Pessoa !

Viictor Marcel Aqq.