EU, BEATLEMANÍACO

Não lembro exatamente quando, mas como descobri os Beatles. Era garoto ainda, no final da década de 70, quando ouvi no rádio de um bar, próximo à minha casa, “I Want To Hold Your Hand”. Poderia criar uma descrição lírica, inventando, como muitos, dizer que parei, me emocionei e passei a ser fã, mas não foi assim que aconteceu. Gostei muito da música e me interessei em saber que banda “nova” era aquela. Essa é a lembrança mais remota que tenho do meu contato com a magnífica obra dos Beatles.

Efetivamente, o trágico episódio do assassinato de John Lennon, ocorrido no final de 1980, abriu as portas para que os Beatles passassem a fazer parte da minha vida. Fui descobrindo disco a disco. Já contei aqui a historinha sobre como descobri a belíssima “In My Life” que chegou à minha casa pelas mãos do meu grande amigo Lito. Minha paixão pelos Beatles determinou também o meu ciclo de amizades. Colecionávamos revistas, cifras de violão, fitas K7 e os adoráveis LP's. Era tudo muito difícil naquela época. Só pra se ter ideia, eu tinha uma fita que gravei encostando o gravador no alto-falante da tevê. Era um “Globo Repórter” especial, sobre os Beatles, que ouvíamos de vez em quando. Som abafado, mono e com interrupções no áudio: meu pai falando, minhas irmãs reclamando. Mas ouvíamos tudo com um prazer indescritível.

Esses momentos lúdicos de beatlemaníacos temporões eram vistos com desprezo pelos garotos da época. Éramos tratados como tolos porque dávamos muita importância ao simples ato de ouvir música. Anos depois constastaria que aqueles momentos, de celebração musical, tiveram uma considerável importância na minha formação. Sou o que sou (mesmo que não seja muito) porque ouvi (e ouço) Beatles. Devo muito a eles. Isso é fato!

Por duas vezes experimentei o prazer de celebrar os Beatles como se estivesse na década de 60 ou 70 na Inglaterra. Aqui mesmo no Recife, uma banda de baile chamada Alcano realizou dois espetáculos memoráveis, em praça pública, em homenagem a Lennon e aos Beatles. Os shows aconteceram em 1986 e 1987 no Parque 13 de Maio, coração da cidade. Inesquecível! Uma imensa área verde lotada de beatlemaníacos e bichos-grilo de toda espécie. Essas boas lembranças vieram à tona porque me preparo para reviver o universo Beatle num show – cover, é claro – que se realizará nos próximos dias aqui no Recife. É a magia de volta!

Dedico esse post ao amigo Sidclay, que teve o prazer de assistir a shows de dois Beatles. Ave Sid!

Comments

3 Responses to “EU, BEATLEMANÍACO”

29 de julho de 2010 05:31

Descobri os Beatles em meados dos anos 80 quando assisti pela primeira vez ao filme "Febre de Juventude", isso quando passou pela primeira vez na Globo à época no Supercine. O filme é um verdadeiro deleite ao mostrar uma época de tanta comoção como foi a beatlemania em meados dos anos 60 nos Estados Unidos.

ED CAVALCANTE disse...
29 de julho de 2010 21:47

"Febre de Juventus" é um clássico beatlemaníaco. Assisti várias vezes, sempre na tv. É uma comédia hilária sobre a histeria em torno dos beatles. boa lembrança!

Sidclay disse...
5 de agosto de 2010 02:31

Cara, um post de Beatles dedicado a mim é honra demais! Não mereço... assim como não sei se mereço ter visto o que vi... eu ainda me pego lembrando daquela noite de julho, Paul e Ringo tocando juntos... foi sonho??? Antes de voltar ao sertão uma amiga me deu um dvd com o show filmado da plateia, e eu apareço rapidamente... eu tava lá!! Não foi sonho!!!
Olha, acho que ter crescido ouvindo Beatles foi um privilégio pra gente! Se vc ouviu I want to hold your hand, a minha primeira música foi Help! Enquanto vc gravava do globo reporter, eu gravava de uns especiais da rádio cidade, se vc mergulhou com a morte de John, eu mergulhei com O Revolver... os fatos podem ser diferentes, mas a essência é a mesma...