SUPERNATURAL, UMA TEMPORADA ABAIXO DA MÉDIA (SPOILERS ABAIXO)


A sexta temporada foi, na medida exata do termo, prolixa. Durante vinte episódios a premissa da temporada apareceu em pequenas pinceladas sendo deixada de lado, quase sempre, para dar lugar a tramas paralelas que soaram como “o papo do cara que não tem nada a dizer”. Todas as expectativas ficaram, portanto, para os dois últimos episódios, mesmo com uma imensa pulga atrás da orelha.

O penúltimo episódio, “Let It Bleed”, revelou a história de Moishe Campbel que escreveu um diário com indicações de como abrir um portal ligando o purgatório  ao mundo atual. Trechos dos manuscritos de Campbell foram usados por um escritor de histórias de terror, H P Lovecraft, que acabou pagando com a vida. A cena inicial do episódio mostra o assassinato dele ocorrido em 1937. O danado nessa história é que Sera Gamble (roteirista), na tentativa de causar um “oh!”, entornou o caldo. Ele transformou a misteriosa e belíssima ex-namorada do Bobby numa nativa do purgatório. Fato descoberto pelo velho caçador quando interrogou um sobrevivente do massacre de 37, quando o portal foi aberto. A loira Elle confirmou a Bobby que tinha 900 anos, era nativa do purgatória e perseguida por Crowley e Castiel.

Nesse episódio Castiel começou a dar sinais de que estava mudando de lado. Fez um acordo com Crowley que acabou sequestrando Lisa e Ben. No final, ele tentou se redimir curando Lisa de um grave ferimento provocado por Crowley. Castiel também apagou a memória de Ben e Lisa para que os dois, definitivamente, se desligassem de Dean. O episódio termina com Castiel sequestrando Elle quando ela se preparava para fugir.

A season finale, “The Man Who Knew Too Much”, foi uma das mais fracas de todas que já assisti da série. Focaram o episódio nas neuras de Sam. Castiel apagou sua memória e ele passou a viver num universo psíquico onde foi confortando com duas outras personalidades suas. Trouxeram de volta também uma linda mulher que Sam matou para poder destruir um demônio. Eric Kripke montou toda essa fábula para revelar um “mistério meia-boca”: para realizar o ritual da abertura do portal do purgatório, disse Elle, era preciso sangue de uma virgem e sangue de uma nativa do purgatório. A loira acabou sendo sacrificada por isso.

Faltou criatividade no desfecho e em quase toda a temporada. Essa coisa de “sangue de uma virgem” em rituais de magia não é usado mais nem em produções da Disney. A temporada terminou com Castiel enebriado por ter abduzido (não se se é esse o termo) milhares de almas. Ele acabou virando um super anjo e se declarou o “Novo Deus”. Esse foi o gancho criado para a sétima temporada. Kripke deve estar com o sentimento de dever não cumprido.

Comments

No responses to “SUPERNATURAL, UMA TEMPORADA ABAIXO DA MÉDIA (SPOILERS ABAIXO)”