OS SUICÍDIOS NO CFCH E A FALTA DE INFORMAÇÃO


Recebi hoje, em uma das escolas em que leciono, um ex-aluno meu que está se formando em Geografia pela UFPE. Entre outras coisas, ele me contou que mais um suicídio havia ocorrido no sinistro Centro de Filosofia e Ciências Humanas, conhecido como CFCH. Ele me falou, em tom de normalidade, que nos últimos três anos, quatro pessoas se mataram no citado espigão.

Conheço o CFCH muito bem, também estudei e perambulei por lá entre 1995 e 1999. Fui aluno do departamento de Ciências Geográficas. Nos quatro anos que frequentei o departamento, três pessoas se mataram. Não presenciei nenhuma dessas mortes, felizmente, mas ouvi vários relatos tenebrosos sobre essas fatalidades. Meu amigo Márcio, presenciou o suicídio de uma engenheira que trabalhou numa das inúmeras reformas ocorridas no prédio. Ouvir as pessoas falando sobre essas mortes sempre me deu calafrios.

O que sempre me espantou foi o fato da UFPE sempre conseguir abafar os suicídios. A imprensa sempre ignora as mortes ou publica notas discretas. Vasculhei a internet a procura de informações sobre essas mortes e não achei quase nada. As poucas informações tratavam de relatos de blogueiros sobre os casos mais conhecidos, como o do estudante húngaro Zoltan Venekey, que teria se jogado do prédio em 2007. Por estar completamente nu, muitos suspeitaram que ele teria sido assassinado. Essa versão nunca foi confirmada.

Seja como for, as notícias sobre mais essa fatalidade, evaporaram da rede. Viciado em seriados de tevê, lembrei do Arquivo X. Minha inglória investigação sobre os suicídios, lembraram os mistérios investigados pelo agente Fox Mulder. Aquela certeza de que o fato existe mas nada se pode provar. Muitos argumentam que a universidade abafa os suicídios porque a propaganda poderia incentivar novas mortes. A regularidade com que os acontecimentos vêm se sucedendo, desacreditam essa tese.

O pior de tudo é que essa aura macabra do prédio virou uma espécie de lenda urbana. Contraditoriamente, os fatos alimentaram a lenda. No período próximo do Sábado de Aleluia, grupos de alunos sobem até os últimos andares do prédio e jogam um “judas” ensopado de ketchup para assustar os transeuntes. Vi um boneco desses cair do meu lado, quase tive uma síncope.

Outra curiosidade do prédio: certa vez, durante uma aula noturna, num dia de chuva torrencial, lá no sexto andar, vi um cara descendo por uma corda fazendo rapel. Fui até a janela e vi um monte de soldados descendo pela fachada do prédio. Era um treinamento do exército. Como ninguém foi avisado, todo mundo ficou assustado.

O prédio do CFCH, erguido em 1950, foi o ponto de partida da UFPE. No seu entorno a universidade cresceu e se tornou o terceiro maior campus de federais do Brasil. Sua expansão se deu a partir de desapropriações. O grande espigão de quinze adares tornou-se uma espécie de “edifício Dakota” do campus. Os suicídios vão se sucedendo e a reitoria vai abafando os casos. Em 2011 duas pessoas já se mataram no prédio: uma em junho e outra em agosoto. Algum dia alguém vai ter coragem de falar sobre o assunto!

Comments

29 Responses to “OS SUICÍDIOS NO CFCH E A FALTA DE INFORMAÇÃO”

Sidclay disse...
1 de setembro de 2011 00:54

Ed, eu queria muito entender esses casos, curiosamente nesse prédio está o curso de psicologia que poderia desenvolver um estudo para aprofundar mais assunto... Quando fico sabendo desses casos fico desejando que as pessoas usem o prédio como usei, para estudar e namorar...

Excelente texto e muito boa a ligação com Arquivo X

albênia disse...
1 de setembro de 2011 08:39

Que bom ter alguém para levantar esse questionamento. Já enviei textos pros jornais querendo saber o porquê desse 'abafamento' e sequer publicaram minhas cartas. É vergonhoso, em pleno século XXI, onde a imprensa penetra em espaços diversos, deixar de atuar em situações como essas. Ora, envolve mortes em prédio público, ainda mais se tratando de espaço educacional. Não estou cobrando sensacionalismo sobre o fato, mas, que as pessoas possam ser informadas sobre tais óbitos. Esses são casos que soubemos através de terceiros, e os que não chegaram ao nosso conhecimento? Cadê a imprensa e o jornalismo sério e independente?

ED CAVALCANTE disse...
1 de setembro de 2011 23:03

Albênia, você resumiu tudo que penso, querida. Já enviei textos pros jornais também, tive o mesmo insucesso.

Sid, obrigado pela dica,corrigido. kkk

Silvana Galvão disse...
1 de setembro de 2011 23:39

O mais instigante é o número de suicídios. Quando cursei a graduação no 10º andar do CFCH,lembro-me bem de pessoas que morreram dessa forma, sei também de uma funcionária que se atirou do mesmo andar há poucos meses atrás...

ED CAVALCANTE disse...
2 de setembro de 2011 10:59

Todo mundo tem umahistória, mas ninguem encontra nada disso na imprensa.

Anônimo disse...
6 de setembro de 2011 21:23

Será que o jovem do dia 29 foi suicídio??? Sair de Caruaru para morrer aí????

ED CAVALCANTE disse...
7 de setembro de 2011 15:12

Você está insinuando algo?

Anônimo disse...
8 de setembro de 2011 12:12

Eu estudo na UFPE desde 2002 e de lá pra cá eu sei de uma moça que pulou do 12º, de uma que caíu em cima da biblioteca, do estudante Zohan que "pulou" nu, da senhora que dizem que era funcionaria, o rapaz de caruaru e uma estudante do CAC perfazendo um total de 07 suicidios e estão que eu estava na universidade fora os casos que eu não fiquei sabendo.

De acordo com a imprensa eles não publicam para não incentivar, pois o suidida tende a pular de prédios onde outros já morreram copiando o modelo, mas eu acho que a coisa vai bem mais alem disso.

Quanto as grades elas estão sendo colocadas primeiro nos corredores e depois nas salas de aula e foi justamente por elas que os dois ultimos pularam.

Quem sabe isso um dia vá de fato acabar.

ED CAVALCANTE disse...
8 de setembro de 2011 23:27

Não publicar e não fazer propaganda eu entendo, mas não exisistir nenhuma informação sobre tantas mortes? Muito estranho!

Anônimo disse...
28 de setembro de 2011 18:55

Oi cara é lamentavel esse fato mais infelizmente vou aumentar esse numero que vc deu!Hj 28/09/2011 se jogou mais uma pessoa do CFCH uma mulher =( as 18h30 é punk alguem tem exorcizar aquele predio!!

Anônimo disse...
28 de setembro de 2011 20:36

Hoje pessoal se jogou uma menina. Novamente isso acontecendo e ninguem faz nada. Isso é um absurdo! Algo tem que ser feito. Cade a imprensa e os orgãos competentes????

Anônimo disse...
29 de setembro de 2011 11:00

Ontem mesmo teve mais uma jovem que cometeu suícidio às 17:30 no CFCH, estudo no CAC que é um prédio ao lado do CFCH, presenciei a multidão de alunos revoltados com a indiferença do reitor. Ninguém vê na impressa esses casos.

Mente Hiperativa disse...
29 de setembro de 2011 12:51

E ontem se jogou mais um, digo, uma. Eu estava saindo do centro de estudos e indo pra casa quando vi aquela multidao, e o corpo coberto por um plastico azul, além de alguns carros da polícia federal.

Ates de entrar na UFPE já ouvia os boatos que rondam o CFCH, hoje eu me pergunto porque AQUELE prédio???

Já colocaram grades no CFCH, depois de MUITA apelação, mas colocaram apenas nas salas, "esqueceram" de colocar na escadaria lateral.

Bom, eu não conhecia a garota que pulou, na verdade nem sei quem era, eles abafam, mas fiquei deprimido em ver aquele corpo estendido no chão, agora sem vida.

Há alguns poucos meses eu soube de uma que se jogou e por sorte (pelo menos na minha opiniao, na dela eu nao sei se foi sorte ou falta de sorte) caiu em cima de uma arvore , que mamorteceu a queda e ao cair no chao so lhe deixou fraturada, mas ainda viva.

Bem, esse caso eu nao vi, mas uma amiga que faz psicologia disse que estava apresentando um trabalho de cormoterapia (que marcou sua vida) quando a turma viu um vulto passando pela janela, o resultado foi que o trabalho foi suspenso e todos correram pra janela.

É triste, eu não ei que solução vão tomar, na verdade nem sei o que poderia ser feito. Talvez uma implosão e construção de outro prédio horizontalizado.

Enfim, continuamos aguardando uma solução.

Abraço

Anônimo disse...
29 de setembro de 2011 13:41

Ontem logo apos a moça pular vi que tinham algumas pessoas tirando foto e filmando, mas ninguem da imprensa.

paranagua disse...
29 de setembro de 2011 18:04

Saibam que noticiar suicídio é anti-ético. Notícias desse tipo não interessam ser veiculadas em jornais e revistas, pois não interessam a ninguém. Apenas a família tem interesse na pessoa que faleceu!Isso não é abafamento! Pra que noticiar o suicídio de alguém que não se conhece??? infelizmente não se tem como ter um controle sobre quem vai ou não se jogar do prédio. As pessoas querem o quê? Um guarda na porta do CFCH perguntando as pessoas que subirem se elas vão se matar?

Anônimo disse...
29 de setembro de 2011 19:58

Sou estudante do CE desde o ano passado, e fiquei sabendo de vários casos. Seu texto é muito interessante porém gostaria de esclarecer umas coisas. A mulher que pulou ontem (28/09/11) pulou exatamente na frente do CE na hora em que eu estava largando e ao escutar o barulho, todos os que estavam lá fomos ver o que era, e nos deparamos com o corpo dela. No lado q ela pulou só existem janelas de vidro na altura dela chega mais ou menos no peito. Ela caiu de costas com os olhos e boca abertos, e antes das 17h. Essa moça foi a 5ª só este ano, Foram um rapaz no primeiro semestre, uma moça no período de férias, outro rapaz no mês de agosto, mais um no começo de novembro e essa moça que presenciei ontem, todos no CFCH e um no CTG. Fora as tentativas. Não são apenas boatos o que digo, pois tenho amigos que estudam e trabalham no CFCH e em outros prédios. Os estudantes do CE organizaram um protesto em frente a reitoria hoje (29/09/11) reivindicando providências a respeito, pois esses casos estão acontecendo cada vez mais e em menos tempo. Espero que Tudo isso possa acabar e que a UFPE tome alguma providência não apenas de segurança, mas também de assistência para os estudantes que mostrarem algum aspecto de problemas psicológico.

ED CAVALCANTE disse...
29 de setembro de 2011 21:27

Paranagua, não queremos propaganda de suicídios, queremos que algo seja feito para que essa mistica do CFCH como trampolim para o além seja desfeita. Claro, isso tudo é muito subjetivo mas, ficar apenas recolhendo corpos e abafando os casos, acho muito pior do que noticiar.

ED CAVALCANTE disse...
29 de setembro de 2011 21:28

Anônimo do CE, obrigado pelaos esclarecimentos, postarei esses comentários no Facebook, muita gente perguntando.

Mente Hiperativa disse...
29 de setembro de 2011 21:52

Paranagua, ninguem tá noticiando suicidio, muito menos fazendo apologia a tal pratica. Ninguem falou nomes, nem divulgou fotos, estamos apenas debatendo um assunto que precisa ser encarado. Algo rpecisa ser feito.

Sarah Tancredi disse...
30 de setembro de 2011 00:25

Paranagua, seguindo seu raciocínio quase nada sairia na mídia: sequestro, acidente de carro, de avião, de trem, assassinatos, assaltos... Informação transparente é direito de todos. Quem se mata não quer acabar com a vida, quer acabar com a dor. Eu não teria coragem de pular de um prédio, mas já pensei em tomar uma caixa de comprimidos muitas vezes. Mas a covardia me faz continuar nessa vidinha mais ou menos. Que Deus ajude a todos!!

Anônimo disse...
30 de setembro de 2011 09:34

Realmente, há uma "norma" no jornalismo de não dar destaque a suicídios, a não ser de pessoas famosas, ou casos que tenham homicídio relacionado, pois há estudos que mostram que quanto mais se noticia, aumentam os casos de suicídios; mas concordo que realmente é macabro essa história, e de repente, só não sei o que poderia ser feito na prática, pois quem quer se matar, sempre arruma um jeito...não entendo é a cisma com esse prédio especificamente!

Anônimo disse...
16 de outubro de 2011 11:20

O problema é se realmente foi tudo suicídio, pois morro de medo dos corredores vazios de lá.

Anônimo disse...
4 de dezembro de 2011 01:28

Por que a UFPE tem que tornar público os suicídios? A polícia investigue e os jornalistas que procurem a polícia. Não há nada de tenebroso no CFCH. Isto é bobagem. Medo dos corredores? Ainda estão neste tempo?

ED CAVALCANTE disse...
4 de dezembro de 2011 07:50

Eu acho muito sinistro aquele lugar, mas é uma avaliação subjetiva, há quem não ache.

Anônimo disse...
20 de janeiro de 2012 21:20

Nos anos 90 minha tia pulou do cfch, e ate hoje minha familia nao sabe o que realmente aconteceu.

ITAUY GERS disse...
12 de julho de 2014 02:25

Como é fato que o jornal/impressa nao divulga nada eu estou aqui para pedir um grande favor. Pode nao parecer, mas preciso dessa informação...
Alguma pessoa chamada Geize ou Deize Santana Rocha caiu/se jogou deste prédio? Se aocnteceu, alguém tem alguma matéria sobre isso?
Por favor...

Anônimo disse...
11 de novembro de 2015 01:25

"Os não alienados" tendem a enlouquecer e cometer suicídio. Principalmente alunos da área de psicologia, pois, quando se cai na real a verdade é crua e isso nos choca. É como se a maioria das pessoas fossem as normais por enxengar só "aquilo", e vc fosse o único a ver "aquilo" de forma diferente e chegar a pensar "karalho, eu sou o louco da história". Penso que ser alienado, talvez, seja melhor. Por isso tantas pessoas se suicidou, naquele tempo, ou por terem se reconhecido em algum momento lendo FREUD E O SEU "RECALQUE" neh? E, enfim, acabaram por gradiar o prédio, como forma de prevenção.

Anônimo disse...
11 de novembro de 2015 22:59

Ontem mais uma menina se jogou do cfch, a respeito de ser alunos de psicologia é mentira isso.....até agora todos q pularam de la não eram do predio e sim de outros cursos como o de ontem q era de geografia.