A TEORIA DO GRITO PRIMAL NAS ESCOLAS

A música "Mother", do John Lennon, sempre foi uma das minhas preferidas, ouvi muito na adolescência. Quando descobri essa canção, lá pela década de 80, uma coisa me intrigava muito: Lennon encerrava a música aos berros, "Mama don't go, daddy come home", até a voz se acabar! Em 1985, lendo a revista Bizz, uma matéria esclareceu o mistério. John era adepto da "Teoria do Grito Primal", de Athur Janov, que prega o GRITO como forma de libertação. Os "Teras For Fears" embarcaram nessa também e emplacaram o hit "Shout", que tinha como refrão: "Berre, berre, bote tudo pra fora!" Outro dia, caminhando pelo pátio de uma das três escolas onde leciono, observei que a maioria dos alunos, mesmo que de forma involuntária, é adepta da teoria de Janov. Eles gritam muito, o tempo todo, não só nos corredores, na sala de aula também! "Sai da frente!", "me dá uma caneta!", "professor tô sem livro", enfim, tudo é motivo para um "bom" berro. O meu alento é acreditar que a teoria de Janov esteja certa e que esses meninos se libertem, ou que, pelo menos, descubram outras formas de extravasar... Meditação seria legal! rsss

Comments

15 Responses to “A TEORIA DO GRITO PRIMAL NAS ESCOLAS”

PauLo Roberto disse...
21 de setembro de 2007 09:59

Por isso tem que hora que do nada nos da muita vontade de gritar!
Explicado.

pcsolotto disse...
12 de julho de 2008 01:22

I truly appreciate it.

Maíra Charken disse...
12 de julho de 2008 15:04

Então segue outro grito:

GOSTEI DO SEU BLOOOOGGGGGG!!!!

Beijos

Bete Meira disse...
12 de julho de 2008 16:20

Ai,meu pai!!! Os alunos gritam demais,mesmo!Tem o lado bom,que é se libertar e extravasar,mas,além de agredir nossos ouvidos,cada grito é uma agressão às cordas vocais!Gritar é difícil... na adolescência,fiz um curso de teatro,e, além de técnicas de relaxamento,a pessoa tinha que correr e soltar um grito bem alto... era dificílimo,somos muito presos a convenções,reprimidos pelas normas de boas maneiras,sei lá,só sei que pra mim isso é terrível!! KKKKKKKK

slim shady disse...
12 de julho de 2008 18:31

Legal a informação e curiosidades.

O grito é forma mais espontanea de libertar.

12 de julho de 2008 18:35

É vivendo e aprender né Ed. Eu nem sabia disso. Meu irmão então, pelo amor, vive gritando...rsrsrs.

Jhony disse...
12 de julho de 2008 18:46

Então vamos nos libertar!
HAHAHAHAH!

Dahora a matéria!
Gosteeeeeeei!

Valeu por compartilhar!

http://jhonyfreitas.wordpress.com

12 de julho de 2008 18:48

NO final da decada de 70 várias terapias estranhas, correlacionadas com o contexto histórico cultural da época apareceram. O grito primal foi uma delas! Não acredito que seja algo cabivel em nossa época!
http://gruposaberviver.blogspot.com/

blog disse...
12 de julho de 2008 18:51

Naturalmente eles nem sabem que é Janov, penso eu.
Daí a ironia - sempre bem posta - de seus textos.
Gritam por saberem o quanto o grito primal serve ao bem-viver? Gritam porque são surdos?

Essa nossa vida de professor é dura. Bem que eles podiam falar mais baixo.
Abraço, caríssimo.

Alcione Torres disse...
12 de julho de 2008 22:56

Seria melhor que eles fizessem algo mais calmo mesmo!

http://sarapateldecoruja.blogspot.com/

Edu França disse...
24 de julho de 2008 12:17

Discas ótimas e de modo simples, muito bom mesmo!!!!

Flavio Migliaccio disse...
9 de janeiro de 2012 08:36

Gente, me desculpem, mas eu acho o seguinte: Se a criança grita o tempo todo, não se trata de Grito Primal. Isso é falta de educação só... já que não têm serventia alguma. O Grito Primal, se dado de repente e em momentos determinados são uma espécie de chave, um código que faz liberar algo preso lá dentro da pessoa. É como se você quisesse liberar algo podre ou um predador de um aquário e deixasse tudo aberto... deixando tudo se perder. Repare que Lennon não grita o tempo todo da música... mas só quando chega num momento de absoluta necessidade.

Anônimo disse...
8 de abril de 2012 13:24

Acho que não podemos confundir o grito terapêutico proposto por Janov com o grito "mal educado" bastante comum em nossa sociedade capitalista, onde o respeito pelo próximo se tornou coisa rara. Infelizmente esse comportamento se tornou parte do repertório da maioria, inclusive dos alunos nas escolas. A terapia do grito primal consiste em relembrar experiências traumáticas da vida, para que ao final a pessoa solte um forte grito, com o objetivo de colocar para fora todas as dores e mágoas ralacionadas com aquela experiência. Portanto, não tem nada a ver com sair gritando com todo mundo por qualquer coisa!

ED CAVALCANTE disse...
9 de abril de 2012 00:49

Claro, amigo anônimo, fiz apenas uma comparação.