A FESTA DO CORINTHIANS E A DURA REALIDADE DO FUTEBOL BRASILEIRO

Não é um post sobre futebol, claro. Quem transita por essa página já deve ter percebido que não costumo escrever sobre o assunto. Adoro futebol, mas  falta-me talento para escrever (bem) sobre o assunto. Falarei da grande conquista do  Corinthians por outro viés: o retorno econômico que o time proporciona aos seus patrocinadores.

A notícia que circula na rede é que a audiência da decisão bateu recordes. A agressiva propaganda implementada pela Globo para divulgar a “festa” - isso mesmo, festa, a tevê tratou assim a partida - surtiu o efeito desejado. Como sempre acontece quando alguma entidade é beneficiada por um grande veículo de massa, criou-se uma  torcida a favor da conquista e outra, na mesma intensidade, contra. Ainda tinha o grupo dos neutros que sempre escolhe um lado em eventos como esses, mas, dessa vez, viu-se numa sinuca de bico: torcer pelo Corinthians, o time mais paparicado pela imprensa e mais beneficiado pelos “erros” dos árbitros, ou torcer pelos  argentinos?. Como diria o slogan daquela bebida:”Que dureza!”.

A festa protagonizada pela torcida do Corinthians foi linda. Lembrei-me do Santa Cruz numa comparação literal sem aquela costumeira ressalva, “guardadas as devidas proporções”. O Corinthians é grande, mas a torcida do Santa – a maior média de público doBrasil nos últimos quatro anos – também é gigantesca e mostra força mesmo com o time no limbo. Depois de ver a emocionante festa da Fiel, fiquei com a certeza que times de massa têm a obrigação de ganhar títulos. Se não for sempre – até porque assim fica chato – que seja de vez em quando.

A ojeriza de grande parte do Brasil para com essa conquista deve-se, em parte, a dois fatores: o primeiro, já citei acima, é que o Corinthians tem o apoio irrestrito da poderosa mídia brasileira e dos sobrenaturais “erros” dos árbitros. O outro detalhe é o fato do time representar uma imensa massa de pobres. O preconceito contra times cuja torcida é pejorativamente tachada de “povão” é latente. Mais uma vez lembrei-me do Santa. Ao final do Pernambucano desse ano, corri para ver os comentários nas redes sociais e li na página de um amigo rubro-negro: “Vou sair, agora, deixa os pobres se divertirem”. Um pobre referindo-se aos outros como se fosse superior. Empáfia de perdedor. Ouvi o mesmo sobre o Corinthians na quarta-feira passada.

Essa superexposição do corinthiana na tevê é uma injustiça para com os outros clubes? Do ponto de vista da competição, claro que sim. Um clube ganhar cem milhões e outro apenas cinco, é um despautério. Aliás, essa dura realidade é a reprodução da maior chaga da sociedade brasileira, a concentração de renda. Por outro lado, se  sou um executivo da tevê e tenho um produto – o Corinthians – que me dá mais retorno, logicamente é natural que invista pesado nele. O ruim dessa história é que estamos caminhando para a realidade espanhola em que apenas dois clubes disputam, realmente, o título. Ainda existe o agravante do Brasil ter dimensões continentais e uma quantidade de clubes muito maior. Enquanto os alijados não reagirem, o funil continuará se formando.

Comments

8 Responses to “A FESTA DO CORINTHIANS E A DURA REALIDADE DO FUTEBOL BRASILEIRO”

Iracides Cavalcante disse...
7 de julho de 2012 11:13

Excelente texto. Uma visão realista, tal qual a dureza que a mesma representa. Parabéns.

Zilda Santiago disse...
7 de julho de 2012 17:20

Não entendo porque brasileiro ache uma dureza escolher entre torcer por Argentina(eca)ou Brasil.Faça-me o favor.Cada um que faça o seu.A divulgação é um direito de todos e quem sabe faz melhor,independente de nomes ou marcas e VIVA O TIMÃO!!!!Infelizmente Domingo tenho que torcer contra,pois meu coração pernambucano é rubro negro!!!!

Sidclay disse...
7 de julho de 2012 18:57

Eu pensei em escrever algo sobre o corinthias e esse título, mas preferi evitar aumentar seu "ibope"... Foi bom pq seu post ficou muito mais além do que estava percebendo. A comparação com o Santa Cruz é bem pertinente!

Morando no interior, percebo diariamente, infelizmente, o que vc escreveu...

ED CAVALCANTE disse...
7 de julho de 2012 19:01

Do jeito que paparicaram o Corinthians, muita gente torceu contra. O inter de Porto Alegre fez a final e ganhou, não teve um décimo da visibilidade que o Corinthians teve. Mas, tem gente que acha isso normal, afinal, só o Corínthians é o Brasil!

7 de julho de 2012 20:17

Adorei a crítica, pois bem sabemos que acontece assim mesmo.
Adoro torcer, lógico para meu time, mas a rivalidade quando começa a ofender, tenho asco.
E viva o Timão.

ED CAVALCANTE disse...
8 de julho de 2012 15:32

Ana, Sid, obrigado pela visita e pela deferência!

Solange Carvalho disse...
9 de julho de 2012 13:44

Gostei muito do texto, embora não entenda de fotebol. Gostei de saber que realmente o Santa tem uma torcida fenomenal. Tenho admiração pelo Coríntias, mas torci mesmo foi para um time nosso, ainda que seja o Sport. Esperava que o Timão batesse aquele bolão em cima de um time mais humilde...que mesmo com todas as falhas ainda conseguiu empatar. O Coríntias decepcionou. Tá bom, acho que já falei muita besteira por hoje. Solange.

ED CAVALCANTE disse...
9 de julho de 2012 23:41

Solange, obrigado pela visita. Fiquei imaginando o quanto Jeferson gritou vendo o jogo! kkkkkkkk