PLANEJANDO OS GASTOS E CHATEANDO A VIDA – BREVE COMENTÁRIO


Pois então, vendo na tevê um economista sabichão mostrar como é fácil controlar os gastos e organizar a vida financeira de qualquer um, acabei percebendo que dificilmente conseguirei entrar na linha nesse quesito. Excetuando-se alguns itens, a maioria das coisas que ele elencou como supérflas, não entraria na minha lista. Uma questão lógica: se as pessoas são diferentes o juízo de valor que fazem das coisas, obviamente, é muito diferente. Exemplo: eu respiro música desde a mais tenra idade, ouvir música para mim é tão importante quanto o arroz com feijão. No julgamento -absolutamente particular e subjetivo – do economista, comprar discos e ir a shows é supérfluo.

Diriam os cíticos: “Supérfluo é tudo aquilo que você consegue viver sem”. Se você “vive sem” e não se sente bem por isso, o item é de primeira necessidade, ora. “A gente não quer só comida, a gente que comida diversão e arte” já dizia aqueles versos do hit titânico. Penso o mesmo, vivo bem por isso. Logicamente essa é a minha fórmula, há quem se adeque aos ditames dos economistas sabichões, sei disso. A conversa tá boa, mas vou ali encomendar mais um box do Arquivo X, tô quase completando minha coleção!

Comments

3 Responses to “PLANEJANDO OS GASTOS E CHATEANDO A VIDA – BREVE COMENTÁRIO”

Sidclay disse...
25 de julho de 2012 00:39

Ed, todo meu dinheiro é gasto com coisas essenciais para mim... Mesmo que para os outros não sejam. Concordo contigo!!

ED CAVALCANTE disse...
25 de julho de 2012 09:16

O bom da vida é isso!

Antonio Ferreira disse...
21 de abril de 2014 11:56

Essa economia com discos, dvds e livros eu não vou fazer nunca, o bom da vida é isso mesmo tio Ed.