QUE DIA É HOJE?

Você já parou para pensar que a contagem do tempo é diferente, dependendo do país em que você esteja? Nós ocidentais usamos o calendário Gregoriano, criado pelo papa Gregório XII em 1582, para substituir o calendário Juliano. Segundo esse calendário, que tem como marco inicial o nascimento de Jesus Cristo, hoje é 06 de fevereiro de 2008. Portanto, faz 2008 anos que Cristo apareceu na terra. O cristianismo é largamente difundido no mundo, por conta disso o calendário Gregoriano é o mais usado. Entretanto, se você estivesse em Israel, que adota o calendário Hebraico (ou Judaico), que é regido pelos movimentos da Lua (calendário lunar) e apresenta onze dias a mais do que o calendário Gregoriano, você estaria em Shevat (janeiro-fevereiro, no calendário Gregoriano) de 5767.

Mas se você, ao invés de judeu ou cristão, fosse natural de um país mulçumano, que adota o calendário Islâmico (ou Hegírico), cujo ano tem onze dias a menos do que o ano gregoriano, você estaria em Sha’aban (fevereiro) de 1429. Ou ainda, se você fosse da China, que adotou oficialmente o calendário gregoriano em 1912, mas a população continua a usar o calendário lunissolar (baseado nos movimentos da lua e do sol), você estaria no ano 4703. Ou seja, no Brasil é século XXI, em Israel é século LVII, no mundo islâmico é século XV e na China, século XLVIII. A contagem do tempo é uma convenção diretamente ligada à cultura do povo (como quase tudo).

Finalizo esse post contando uma história(cruel) verídica envolvendo um antropólogo inglês e uma tribo indígena do xingu. Esse inglês (cuja graça não me recordo, claro) quando era jovem, recém- formado, lá pela década de 1960, veio até o Brasil para realizar um documentário sobre os índios do alto xingu. Ele fez várias horas de gravação, mas o filme nunca foi realizado. Recentemente, reencontrou o material filmado num quarto de quinquilharias da sua casa . Foi então que ele teve uma triste idéia: mostrar o material de quarenta anos atrás para os índios da mesma tribo. Ele veio até o Brasil e, devidamente autorizado pela FUNAI, armou uma tenda no meio da aldeia e fez sua sessão de cinema.

Alguns poucos índios se reconheceram nas imagens, se viram mais jovens, diferentes do estado atual. O antropólogo introduziu na vida daqueles indivíduos, uma convenção que não existia para eles: o tempo. Muitos desses índios foram tomados por uma tristeza profunda e não conseguiram mais se recuperar. Obviamente, não era essa a intenção do pesquisador, mas o episódio deve ter valido como a grande experiência da vida dele, um erro que jamais deve ser repetido. Droga, hoje é quarta-feira de cinzas, amanhã volto a trabalhar. O tempo passa rápido!

Comments

10 Responses to “QUE DIA É HOJE?”

6 de fevereiro de 2008 19:56

POxa muito legal e interessante, e agente pode refletir muito sobre isso!
só ficamos velhos quando queremos, existem idosos com almas de adolescente e as condiçoes fisicas não impedem os mesmo!
Se sempre nós importarmos em viver o hoje e deixar o amanha para Deus, com certeza seremos muito mais felizes!

Victor Oliveira disse...
6 de fevereiro de 2008 19:56

O gregoriano é o usado no SI ?
É muito complicado isso de calendário. É muito estranho saber que pessoas do nosso mesmo mundo estão séculos a nossa frente, e que isso talvez nunca possa ser resolvido por causa da cultura, um exemplo disso é a China que adotou o calendário gregoriano oficialmente, mas que na verdade não é usado pela população.
Interessante a matéria.
E realmente o tempo passa muito rápido, as férias voaram, segunda recomeça a correria.

ED CAVALCANTE disse...
6 de fevereiro de 2008 21:21

EU ACHO ATÉ MUITO LEGAL ESSA PRULALIDADE. SE O MUNDO FOSS PADRONIZADO FICARIA MAIS CHATO E CERTAMENTE ELES USARIAM COMO PARADIGMA A CULTURA EUROPÉIA OU ESTADOSUNIDENSE. VOLTEM SEMPRE!

Paulo Roberto disse...
6 de fevereiro de 2008 23:51

Droga, droga, amanhã voltando ao trabalho, aos problemas, a realidade!
Interessante o post, eu não sabia esse negocio do calendario.
Em relação aos indios, tadinho, os bichinhos ficaram com a auto-estima lá em baixo.
Isso tudo pq eles não acompnhavam porcaria de calendario de lugar algum.
Então pra eles não existia velhiçe externa.
Abraço Ed.

7 de fevereiro de 2008 01:18

Isso me lembra "Jornada nas Estrelas" (rs). A contaminação de uma cultura por outra pode ser perigosa e causar muitos problemas. Podendo até levar a extinção da cultura mais fraca. E isso é uma verdade.

7 de fevereiro de 2008 02:12

PRIMEIRO,UMA CORREÇÃO, NO COMENTÁRIO ACIMA EU ESCREVI "PRULALIDADE"(CHEGA DÁ UMA DOR NO FÍGADO!KKK)LEIA-SE PLURALIDADE.PAULO OS ÍNDIOS PRIMITIVOS VIAM A VELHICE COMO UMA DÁDIVA. HOJE EM DIA, JÁ ACULTURADOS E DOMINADOS ELES CAMINHAM PARA A EXTINÇÃO, COMO BEM FALOU O COLEGA ARTHURIUS ACIMA!

7 de fevereiro de 2008 19:33

Afe! Vc me trouxe pra realidade, o ano está começando, terminando, no meio... Bom, o tempo não pára e eu preciso correr, espero que sempre atras de posts deliciosos de ler, como esse.

Caio Rudá disse...
7 de fevereiro de 2008 19:41

Puxa, muito legal esse post. Realmente essa questão de tempo é algo totalmente relativo. Mesmo na questão dia/noite, quem nunca se confundiu ao perder noite e varar a madrugada ainda achando que é "hoje", quando na verdade é "amanhã".

Não conhecia esse episódio dos índios e do antropólogo. Lamentável... uma prova de que são culturas diferentes e uma adaptação forçada a uma delas pela outra pode ser desastroso.

Parabéns pelo blog!

7 de fevereiro de 2008 21:57

O TEMPO PODESER UM PARCEIRO OU UM ADVERSÁRIO, NÓS É QUE ESCOLHEMOS QUE RELAÇÃO TEREMOS COM ELE! OBRIGADO PELA VISITA E VOLTEM SEMPRE!

14 de fevereiro de 2008 12:18

Eu sabia, e acho muito interessante. cada cultura tem um "marco zero" de onde passa a contar a passagem do tempo. Bem explicado no seu texto.