30 ANOS DA ANISTIA E A MINHA DESINFORMAÇÃO

Esse ano o Brasil comemora os trinta anos da anistia concedida aos exilados políticos. O processo foi lento e iniciou-se em 1974, quando o governo militar começou a se diluir. A pressão social aumentava a cada dia e o então presidente, Ernesto Geisel, começou a sinalizar positivamente para o processo que só se concretizaria em 1979.

Não vou perder tempo falando de um assunto que qualquer um pode acessar nos sites de busca. A minha lembrança mais marcante e mais revoltante, dessa época, refere-se ao meu total desconhecimento (na época) do que era realmente a tal da anistia. Em 1979 eu tinha 14 anos e não entendia o que se passava à minha volta. Meus pais, pessoas de pouca informação, não falavam sobre o assunto e eu descobri a realidade política do Brasil por interesse próprio.

O primeiro nome forte que ecoou nos meios de comunicação de Pernambuco, e depois do Brasil, foi o do ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes. O slogan “Arraes tá aí” virou marca registrada da volta e da retomada da carreira política dele, deposto pelos militares. Quando todo mundo começou a falar em anistia, quando os políticos e artistas começaram a voltar para o Brasil é que eu descobri que existia o tal do “exílio político”.

Esse meu exemplo serve de alerta para você que é jovem, tem acesso à informação (que eu não tive) e que ignora a realidade política que o Brasil vive hoje. Você que não se interessa pela bandalheira praticada no Senado, que não lembra o nome dos políticos em que votou na última eleição. Informe-se, discuta, faça valer seu direito. Informação é poder. Viva a anistia!

Comments

3 Responses to “30 ANOS DA ANISTIA E A MINHA DESINFORMAÇÃO”

Marcello disse...
24 de agosto de 2009 18:07

Realmente a maior arma dos políticos corruptos é a desinformação, a ignorância do povo brasileiro me choca.

Por isso mesmo País não pode liberar a não-obrigatoriedade do voto, infelizmente, brasileiro só aprende na porrada, naquela coisa de " faz que eu tô mandando"....

Precisamos aprender muito pra sermos um país democrático.

Já sou seu seguidor, gostei dos textos.

Abraços

ED CAVALCANTE disse...
24 de agosto de 2009 22:17

Marcelo, meu nobre, obrigado pela visita e por seguir meu blog. Seja bem vindo!

Bete Meira disse...
13 de dezembro de 2010 00:33

Ao ler essa frase me lembrei da terrível ditadura: "As ideias são muito mais poderosas do que as armas. Nós não permitimos que nossos inimigos tenham armas, porque deveríamos permitir que tenham ideias?Joseph Stalin
Você frisa sempre, com muita propriedade, que informação é poder. Quem tem informação tem ideias. Aí mora o perigo!