VINTE ANOS SEM LUIZ GONZAGA

Uma coisa que me dá muito orgulho é o fato de ser conterrâneo do mestre Luiz Gonzaga. A importância desse artista genial transcende as fronteiras da música. Com sua sanfona tocando apenas em dois baixos, como acentuava o seu pai, ele pôs a cultura popular do nordeste num patamar nunca imaginado. Mas Luiz Gonzaga não era apenas um cantor popular. Engana-se quem coloca a obra do seu Lula como uma simples manifestação popular. Usando a linguagem simples do sertanejo, a música gonzaguiana é muitíssimo erudita.

Luiz Gonzaga tinha a alma sertaneja, nasceu na serra do Araripe, cidade de Exu. Ainda no início da carreira (em 1947) compôs, em parceria com o cearense Humberto Teixeira, uma música que se tornaria uma espécie de hino do Nordeste: a clássica “Asa Branca”. Luiz Gonzaga usava a linguagem do sertanejo nordestino mas a sua música era muito politizada. Criticou o assistencialismo e a indústria da seca, descrevia as agruras do povo nordestino mas colocando seus conterrâneos como guerreiros e não como flagelados.

Em 1989 eu enfrentei uma fila quilométrica e fui ao velório do Luiz Gonzaga, realizado na câmara de deputados aqui de Pernambuco. Foi um dia tristíssimo. Entretanto, no dia seguinte, o nordeste inteiro cantava e rendia homenagens ao representante maior da sua cultura. A tristeza da perda deu lugar à alegria da certeza da eternidade do ídolo.

Clique aqui e acesse a agenda das homenagens a Luiz Gonzaga

Vídeo raro, em preto e branco, que conta com a participação de Gonzaguinha. Nesse vídeo Luiz Gonzaga explica como nasceu a base do "Forró Pé de Serra", sanfona-zabumba-triângulo.

Comments

6 Responses to “VINTE ANOS SEM LUIZ GONZAGA”

Bete Meira disse...
2 de agosto de 2009 03:00

Gonzagão foi mesmo um artista genial.Lamento os desencontros entre pai e filho,parece que se entenderam após longo hiato.Lamentavelmente Gonzaguinha partiu,num trágico acidente, 2 anos depois da morte do pai.
O que me surpreendeu nesse post foi o fato de vc ter ido ao velório. Pensei que não fosse a enterros.

Rubens Rodrigues disse...
2 de agosto de 2009 09:56

Aqui em Fortaleza esse final de semana tem alguns eventos em homenagem à ele.

ED CAVALCANTE disse...
2 de agosto de 2009 12:02

Você falou certo, não vou a enterros, fui à visitação pública realizada na Câmara de Deputados.

2 de agosto de 2009 14:58

Olá Ed...td bem?
Bela homenagem ao Rei do Baião, a forma como ele compunha era fantástica realmente....até os sapos ns sua música interagiam com ele, ele via musicalidade no ranger dos portões, enfim sensibilidade a flor da pele.
Tudo de bom pra ti^^
Bjs♥

2 de agosto de 2009 23:05

Oiee Ed....sou uma Mogiana(Paulista)que reside na cidade do Paulista, há 12 anos...pernambucana de coração, apaixonada pela cultura, música, enfim por td de bom que só se encontra por aqui,pense!!!rs
Obg pela visita, por suas palavras...
Bjs

Paulo Roberto disse...
6 de agosto de 2009 08:52

Viva o imortal Luiz Gonzaga!