EU, AS RÁDIOS E A SAUDADE DOS FESTIVAIS

Ontem, a título de curiosidade (e já sabendo que não ouviria boa coisa), dei uma passeada nas principais rádios aqui de Recife para me inteirar das novidades. Abdiquei do hábito de ouvir rádio há muito tempo. O resultado da minha incursão pelo dial foi, claro, decepção total. Será que a boa música tem que ficar restrita às rádios alternativas? Você deve estar pensando: “ei, Ed, gosto é subjetivo!”. Sei disso, mas o que toca nas rádios hoje em dia é tão ruim que nem a tal da subjetividade me impede de descer a lenha.

Excluo das minhas críticas a Nova Brasil FM, a Tribuna, a Antena 1 e a Universitária. Todas rádios alternativas, não brigam por audiência. Minha tristeza me fez lembrar dos grandes festivais de musicas que o Brasil já teve. Entre 1965 e 1985, o Brasil teve vinte festivais. Foram eles:

TV Excelsior

Primeiro Festival de Música Brasileira - 1965

1º Lugar: Arrastão (Edu Lobo e Vinicius de Moraes) - Intérprete: Elis Regina

2º Lugar: Valsa do Amor Que Não Vem (Baden Powell e Vinicius de Moraes) - Intérprete: Elizete Cardoso

Festival de Nacional da Música Popular Brasileira - 1966

1º Lugar: Porta-Estandarte (Geraldo Vandré e Fernando Lona) - Intérpretes: Tuca e Airto Moreira

2º Lugar: Inaê (Vera Brasil e Maricene Costa) - Intérprete: Nilson

TV Record

Segundo Festival de Música Brasileira - 1966

1º Lugar: A Banda (Chico Buarque) - Intérpretes: Chico Buarque e Nara Leão

Disparada (Geraldo Vandré e Téo de Barros) - Intérpretes: Jair Rodrigues, Trio Maraiá e Trio Novo

2º Lugar: De Amor ou Paz (Luís Carlos Paraná e Adauto Santos) - Intérprete: Elza Soares

Terceiro Festival de Música Popular Brasileira - 1967

1º Lugar: Ponteio (Edu Lobo e Capinam) - Intérpretes: Edu Lobo, Marília Medalha e Quarteto Novo

2º Lugar: Domingo no Parque (Gilberto Gil) - Intérpretes: Gilberto Gil e Os Mutantes

3º Lugar: Roda Viva (Chico Buarque) - Intérpretes: Chico Buarque e MPB-4

4º Lugar: Alegria, Alegria (Caetano Veloso) - Intérpretes: Caetano Veloso e Beat Boys

5° Lugar: Maria, Carnaval e Cinzas (Luiz Carlos Paraná) - Intérpretes: Roberto Carlos.

Primeira Bienal do Samba – 1968

1° Lugar: Lapinha (Baden Powell e Paulo César Pinheiro) - intérprete: Elis Regina e Os Originais do Samba

2° Lugar: Bom Tempo (Chico Buarque).

Quarto Festival da Música Popular Brasileira – 1968

1º Lugar (Júri Especial) e 5º lugar (Júri Popular): São Paulo Meu Amor (Tom Zé) - Intérprete: Tom Zé

1º Lugar (Júri Popular): Benvinda (Chico Buarque) - Intérprete: Chico Buarque

2º Lugar (Júri Especial) e 2º Lugar (Júri Popular): Memórias de Marta Saré (Edu Lobo e Gianfrancesco Guarnieri) - Intérpretes: Edu Lobo e Marília Medalha

3º Lugar (Júri Especial): Divino Maravilhoso (Caetano Veloso e Gilberto Gil) - Intérprete: Gal Costa.

Quinto Festival da Música Popular Brasileira – 1969

1º Lugar: Sinal Fechado (Paulinho da Viola) - Intérprete: Paulinho da Viola

2º Lugar: Clarisse (Eneida e João Magalhães) - Intérprete: Agnaldo Rayol.

Basta uma conferida na lista de vencedores para perceber que a nata da música popular brasileira floresceu nesses festivais. Mas a história não para por aí. A TV Rio e a então novata Rede Globo realizaram (entre 1966 e 1972) sete edições do Festival Internacional da Canção, que revelaram, entre outros: Dori, Danilo e Nana Caymmi, Nelson Motta, Milton Nascimento, Beth Carvalho, Toni Tornado, Ivan Lins, Taiguara, Antônio Carlos e Jocafi, Maria Alcina, Sérgio Sampaio, Walter Franco e o genial Baden Powell.

A partir de 1975, a Rede Globo tomou a frente dos grandes festivais. Realizou nesse ano o “Festival Abertura, que revelou: Alceu Valença, Carlinhos Vergueiro, Djavan, Luiz Melodia. Em 1979, já em processo de falência, a TV Tupi realizou o “Festival de MPB”, que revelou: Fagner, Oswaldo Montenegro e A Cor do Som.

Na década de 80 (século XX) a Rede Globo conseguiu resgatar parte do entusiasmo dos festivais da Record. Realizou quatro grandes festivais. Foram eles:

MPB Shell 80

1º Lugar: Agonia (Mongol) - Intérprete: Oswaldo Montenegro

2º Lugar: Foi Deus que Fez Você (Luiz Ramalho) - Intérprete: Amelinha

*Melhor Intérprete: Porto Solidão (Zeca Bahia e Ginko) - Intérprete: Jessé

MPB Shell 81

1º Lugar: Purpurina (Jerônimo Jardim) - Intérprete: Lucinha Lins

2º Lugar: Planeta Água (Guilherme Arantes) - Intérprete: Guilherme Arantes

MPB Shell 82

1º Lugar: Pelo Amor de Deus (Paulo Debétio e Paulinho Rezende) - Intérprete: Emílio Santiago

2º Lugar: Fruto do suor, (Tony Osanah e Enrique Bergen) - Intérprete: Raices de America

Festival dos Festivais – 1985

1º Lugar: Escrito nas Estrelas (Arnaldo Black e Carlos Rennó) - Intérprete: Tetê Espíndola

2º Lugar: Mira Ira (Lula Barbosa - Vanderley de Castro) - Intérprete: Miriam Mirah

3º Lugar: Verde (Eduardo Gudin e José Carlos Costa Netto) - Intérprete: Leila Pinheiro

Esse festival, diferentemente dos anteriores, teve eliminatórias em várias cidades do Brasil. Eu estive na edição do Recife, realizada no ginásio Geraldão absolutamente lotado. Inesquecível!

No ano 2000, a Rede Globo realizou o Festival da Música Brasileira, mas não conseguiu reeditar o brilho dos festivais passados. Sinais dos tempos. Os amantes da boa música, cansados de Calypsos e correlatos, lamentam!

Comments

2 Responses to “EU, AS RÁDIOS E A SAUDADE DOS FESTIVAIS”

7 de setembro de 2009 02:05

Oieee Ed, td bem?
Eu simplesmente adoro qdo a Record repassa estes festivais, fico encantada, as letras tinham conteúdo e era copntagiante a forma como Elis e Jair Rodrigues interpretavam as canções...
Fica na paz!
Bjs

ED CAVALCANTE disse...
7 de setembro de 2009 14:45

Também curto bastante, Tereza. Gosto também das edições do MPB Shell, inesquecíveis!

bjin!