GRIGORY PERELMAN, A MATEMÁTICA E O DESPREZO PELO DINHEIRO


Histórias sobre intelectuais que vivem em auto reclusão estamos cansados de ouvir, mas  o caso do genial matemático russo Grig­ory Perel­man, 45 anos, extrapola qualquer limite. Famoso no mundo acadêmico por ter apresentado uma demonstração da “Conjectura de Geometrização de Thurston”, aceita como a resolução da “Conjectura de Poincaré”, o problema matemático mais complexo de todos os tempos, Perelman espantou o mundo, em março do ano passado, ao recusar-se a receber o prêmio de um milhão de dólares referente a resolução do famoso problema. Ele também recusou-se a receber o “Fields Medal”, o mais importante prêmio da matemática.

Sobre a Conjectura de Poincaré

Foi formulada em 1904 pelo matemático francês Henri Poincaré sendo considerada, logo após a sua apresentação, o problema matemático mais complexo de todos os tempos. Segundo as principais universidades da Europa e dos Estados Unidos, a conjectura de Poincaré é de fundamental importância para a compreensão de formas tridimencionais. O grande feito de Perelman foi encontrar a constatação algébrica que elevou a conjectura à categoria de teorema.

Você, certamente, já deve ter ouvido alguém dizer com tom de preconceito: “Estudou tanto, que endoidou”. Essa observação simplista normalmente parte de uma pessoa que não gosta de estudar e quer agredir alguém que estuda. No caso do matemático Grigori Perelman, ao que parece, seu intelecto alcançou um nível tão elevado que ele se desencantou com a matemática por falta de desafios.

O genial matemático largou tudo em 2006 e foi morar com a mãe num modesto apartamento em São Petersburgo que, segundo os vizinhos, está infestado de baratas. Além disso, Perelman adotou um visual de eremita (foto acima) com barba e cabelos longos. O jornal britânico Daily Mail publicou algumas declarações de vizinhos do matemático que comprovam a vida excêntrica adotada por ele: “Ele tem ape­nas uma mesa, um ban­quinho e uma cama com um lençol sujo que foi deix­ado ali pelos anti­gos donos, uns bêba­dos que venderam o aparta­mento para ele” - “Esta­mos ten­tando acabar com as baratas nesse quar­teirão, mas elas se escon­dem na casa dele” (Vera Petrovana).

Assim como Perelman, outras figuras ilustres, por motivos diferenste, também se fecharam para o mundo. O escritor J. D. Salinger, autor do best-seller “O Apanhador No Campo de Centeio”, após publicar o livro, viveu recluso até a morte. A atriz Greta Garbo seguiu o mesmo caminho, trocou o glamour de Hollywood por um modesto e fechado apartamento em Nova York onde morreu em 1990.

Grig­ory Perel­man afirmou que tem tudo que precisa no seu apartamento. Quem vai dizer o contrário? Sobre ter recusado o prêmio de um milhão de dólares, ele afirmou: “A simples comprovação da minha teoria já é um prêmio”. Nada mais há que se dizer.

Comments

3 Responses to “GRIGORY PERELMAN, A MATEMÁTICA E O DESPREZO PELO DINHEIRO”

Maeli disse...
18 de junho de 2011 09:46

Adorei saber disso, cunhado. Excelente matéria.

Bom findi!

Anônimo disse...
11 de janeiro de 2013 19:41

o teorema de Poincaré não é o problema matemático mais complexo de todos os tempos...

Maninho disse...
31 de março de 2014 22:54

"ao que parece, seu intelecto alcançou um nível tão elevado que ele se desencantou com a matemática por falta de desafios."
E eu que, arrogantemente, me achava inteligente...

if (myclass.test(classes)) { var container = elem[i]; for (var b = 0; b < container.childNodes.length; b++) { var item = container.childNodes[b].className; if (myTitleContainer.test(item)) { var link = container.childNodes[b].getElementsByTagName('a'); if (typeof(link[0]) != 'undefined') { var url = link[0].href; var title = link[0].innerHTML; } else { var url = document.url; var title = container.childNodes[b].innerHTML; } if (typeof(url) == 'undefined'|| url == 'undefined' ){ url = window.location.href; } var singleq = new RegExp("'", 'g'); var doubleq = new RegExp('"', 'g'); title = title.replace(singleq, ''', 'gi'); title = title.replace(doubleq, '"', 'gi'); } if (myPostContent.test(item)) { var footer = container.childNodes[b]; } } var addthis_tool_flag = true; var addthis_class = new RegExp('addthis_toolbox'); var div_tag = this.getElementsByTagName('div'); for (var j = 0; j < div_tag.length; j++) { var div_classes = div_tag[j].className; if (addthis_class.test(div_classes)) { if(div_tag[j].getAttribute("addthis:url") == encodeURI(url)) { addthis_tool_flag = false; } } } if(addthis_tool_flag) { var n = document.createElement('div'); var at = "
"; n.innerHTML = at; container.insertBefore(n , footer); } } } return true; }; document.doAT('hentry');