105 ANOS DO VOO DE BAGATELLE


Foi num 23 de outubro, como hoje, que, em 1906, Alberto Santos Dumont entrou para história ao realizar um breve voo de 50 metros, a dois metros do chão, com o 14 Bis. Foi a primeira vez que uma aeronave mais pesada que o ar alçou voo usando, apenas, suas próprias forças. Pelo feito, o brasileiro ganhou a "Taça Archdeacon" e escreveu seu nome na gênesis da aviação mundial.

A importância histórica e científica desse feito é, deliberadamente, ignorada pelos Estados Unidos e parte da Europa. Para eles, os inventores do avião foram os Irmãos Wright que teriam realizado um voo com o “Flyer 1” antes do 14 Bis. A grande diferença, entretanto, é que a aeronave dos Irmãos Wright utilizou uma catapulta como forma de propulsão. Outra questionamento: o voo teria sido feito para um pequeno grupo de testemunhas. No caso do 14 Bis, o voo foi feito para um enorme público no Campo de Bagatelle, em Paris. Como quem tem poder é dono da verdade, eles sustentam a história deles. Apenas a França reconhece o grande feito do brasileiro Santos Dumont. 

Confira, abaixo, o curta de André Ristum, protagonizado por Daniel de Oliveira, que conta esse fantástico episódio da história da aviação:

Comments

One response to “105 ANOS DO VOO DE BAGATELLE”

Sávio Barbosa disse...
17 de dezembro de 2015 20:47

Correção: o Flyer não se utilizou de catapulta em 1903. Ela só foi utilizada de 1905 em diante.Em 1903 o Flyer 1 foi atirado do alto de um morro num dia de fortes ventos, e a fotografia que seria de uma suposta decolagem não passa de um salto seguido de uma queda. Além disso, a relação peso potência era um absurdo: 12 cv para puxar um aparelho de 340kg, contra 250kg e 50cv do 14 bis.