PROFESSORES QUE ME MARCARAM


Negativo – Professor Constantino (Matemática): era um terrorista, não era professor. Usava os números para oprimir. Fui perseguido por esse professor, na 5ª Série, porque tinha dificuldades com operações envolvendo divisão. Sobrevivi a ele. Tempos depois o vi pilotando trens do metrô, realmente, não era um professor.

Positivo - Professor Lidelmo (Matemática): foi o primeiro professor de matemática que conseguiu falar uma linguagem que eu, sempre avesso aos números, entendia. Entrou na escola como substituto e marcou época. Como bem disse Renato Russo, “os bons se vão cedo”. O professor Lidelmo morreu afogado depois de um ataque epilético. Ficaram as boas lembranças.

Positivo – Professora Laura (Geografia-História): quando eu fazia a 6ª série, tive um momento difícil na escola. Era um adolescente arredio e não queria estudar. A professora Laura, que enfrentava o mesmo problema com outros alunos, usou de sua criatividade e virou o jogo. Criou uma gincana de conhecimentos – que hoje utilizo na minha prática pedagógica – e todos nós recuperamos o gosto pelo estudo. Era divertidíssimo competir e estudar história e Geografia. Inesquecível!

Positivo – Professor Felinto (Literatura): era uma figuraça. Usava jaleco e uma bata branca, igual os médicos. Tinha uma memória privilegiada e conhecia muito sobre literatura brasileira. Por ser uma figura caricata, era visto pela maioria dos alunos de uma forma, digamos, folclórica. O velho professor Felinto, na verdade, era um grande professor de literatura, apaixonado pelo que fazia. Tenho boas lembranças das suas divertidas aulas. Inesquecível!

Positiva e Negativa – Professora Ilma (Português e Francês): As lembranças negativas que tenho dessa professora referem-se a postura dela na sala de aula, austera até o último fio de cabelo. Tinha tanto medo dela que nem tirava as minhas dúvidas. Assim como eu, muitos alunos foram prejudicados por esse excesso de autoritarismo. Mas ela tinha outro lado, dava aulas com muita paixão. Podíamos enxergar nos olhos dela que ela acreditava no que estava falando, tinha muita segurança. Por isso, sempre que me lembro dela, me perco nesse paradoxo.

Positivo – Professor Cavalcante (Biologia): o que me encantava nesse professor era o profundo respeito que ele tinha pelo aluno. Era um gentleman, tinha o domínio total da sala sem nunca, absolutamente nunca, levantar a voz. Suas aulas eram bastante produtivas por isso, estudávamos encantados pelo professor. Cavalcante, infelizmente, faleceu há alguns anos de causas naturais.

Positivo – Jorge Santana (Introdução as Ciências Geográficas – Planejamento): foi o melhor professor que tive na faculdade. A postura do professor Jorge, lembrava-me o professor Cavalcante que descrevi acima. Um professor que fala fácil, de uma forma apaixonante, traz luz à sala de aula. Até mesmo nas aulas de planejamento, que ele ministra baseado na lógica, mesmo com toda aquela abstração, tudo parecia muito fácil pelo poder do professor. Absolutamente inesquecível!

Positivo – Lucivânio Jatobá (Geomorfologia): foi meu professor na graduação e na pós. É um grande geomorfólogo, conhece muito do assunto. Fala fácil e tem paixão. É um grande mestre. Não bastasse isso, ainda é fã dos Beatles. Perfeito!

Como professor, procuro me espelhar nos bons exemplos e evitar os erros que cometeram comigo. Obviamente os tempos são outros, mas entendo que lecionar é um eterno exercício de reconstrução e troca de ideias. Parabéns a todos os professores!

Comments

One response to “PROFESSORES QUE ME MARCARAM”

Sidclay disse...
20 de outubro de 2011 02:46

Tive pouco contato com Santana, mas Lucivãnio foi o melhor professor que tive até hoje! Sempre falo dele nas minhas aulas...