ASSIM FALOU (ESCREVEU) SARAMAGO

Sobre imortalidade:

Os bons e os maus resultados dos nossos ditos e obras vão-se distribuindo, supõe-se que de uma maneira bastante uniforme e equilibrada, por todos os dias do futuro, incluindo aqueles, infindáveis, em que já cá não estaremos para poder comprová-lo, para congratularmo-nos ou para pedir perdão, aliás, há quem diga que é isto a imortalidade de que tanto se fala”.

Sobre solidão:

Para temperamentos nostálgicos, em geral quebradiços, pouco flexíveis, viver sozinho é um duríssimo castigo”.

Sobre o tempo:

Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é só um dia mais.”

Sobre a cria de Cervantes:

Dulcineia

Quem tu és não importa, nem conheces

O sonho em que nasceu a tua face:

Cristal vazio e mudo.

Do sangue de Quixote te alimentas,

Da alma que nele morre é que recebes

A força de seres tudo.”

Sobre ganhar e perder:

O que as vitórias têm de mau é que não são definitivas. O que as derrotas têm de bom é que também não são definitivas.”

Sobre a morte:

O pior que a morte tem é que antes estavas, agora não estás mais.”

Sobre o ato de recriar:

Os lugares-comuns, as frases feitas, os bordões, os narizes-de-cera, as sentenças de almanaque, os rifões e provérbios, tudo pode aparecer como novidade, a questão está só em saber manejar adequadamente as palavras que estejam antes e depois.”

Sobre o seu ateísmo:

Não sou um ateu total, todos os dias tento encontrar um sinal de Deus, mas infelizmente não o encontro.”

Sobre as voltas que o mundo dá:

"Das habilidades que o mundo sabe, essa ainda é a que faz melhor: Dar voltas.''

Sobre a natureza humana:

Com a tripa em sossego qualquer um tem ideias, discutir, por exemplo, se existe uma relação direta entre os olhos e os sentimentos, ou se o sentido da responsabilidade é a consequência natural de uma boa visão, mas quando a aflição aperta, quando o corpo se nos desmanda de dor e angústia, então é que se vê o animalzinho que somos.”

Sobre a soberba:

Tolerar a existência do outro e permitir que ele seja diferente, ainda é muito pouco. Quando se tolera, apenas se concede, e essa não é uma relação de igualdade, mas de superioridade de um sobre o outro.”

Comments

3 Responses to “ASSIM FALOU (ESCREVEU) SARAMAGO”

Marcello disse...
20 de junho de 2010 01:28

Ed,
Textos de Saramago sem comentarios, e algumas frases dele se adequam bem a realidade que nem todos querem enxergar.
Bom post.

ED CAVALCANTE disse...
20 de junho de 2010 12:57

Marcelo, algumas dessas colocações do Saramago refletem exatamente o que eu penso. Gosto muito da forma sutil como ele manipula as palavras.

Abraço!

Anônimo disse...
16 de junho de 2011 23:48

Saramago utiliza frases e períodos compridos, usando a pontuação de uma maneira não convencional; Os diálogos das personagens são inseridos nos próprios parágrafos que os antecedem, de forma que não existem travessões nos seus livros.
Mirths Cavalcante.